Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

You And I

11
Nov18

You And I - Capítulo 7


JustAnOrdinaryGirl

Resultado de imagem para yara shahidi happy gif

 

Laura acordou um pouco mais calma na manhã seguinte. Em vez de se levantar logo, deixou-se ficar deitada de barriga para cima, a olhar para o vazio, a pensar nos acontecimentos dos dias anteriores.

Na noite passada, dera conta de Leo bater na porta do seu quarto, mas apesar de saber que o irmão estava preocupado com ela, tinha optado por fingir que já estava a dormir.

Decidiu deixar aqueles pensamentos e levantou-se. Depois de se arranjar, desceu para se juntar à família, que já estavam sentados à volta da mesa do pequeno-almoço. Leo ficou a olhar para a irmã, tentando perceber se se sentia melhor. Laura sorriu-lhe como garantia de que sim, fazendo com que ele ficasse mais descansado.

- Espero que estejas mais bem-disposta hoje, Laura – O pai disse – A atitude que tiveste ontem não foi nada agradável – repreendeu-a, fazendo com que Laura começasse de novo a perder a calma que tinha recuperado nessa manhã

- Vamos mesmo falar de atitudes desagradáveis? – Laura questionou o pai, vendo-o passar de um estado mais calmo e um estado ligeiramente irritado

- Não, não vamos! – A Sra. Collins impediu qualquer tentativa de discussão – Não vamos começar mais um dia com discussões. Terminem antes o pequeno-almoço que é para não chegarmos atrasados – pediu calmamente.

 - Eu já acabei, espero por vocês ao pé do carro – Laura informou e levantou-se da mesa. Pegou na mochila e no casaco e foi sentar-se no alpendre. Uns minutos depois deu conta de Leo, ainda a acabar de comer uma panqueca, sentar-se ao lado dela. O irmão ficou em silêncio, não sabia bem o que dizer à irmã. – Estou tão farta disto, Leo! – Laura acabo por desabafar. Em vez de dizer alguma coisa, o rapaz aproximou-se da irmã e colocou o seu braço à volta dos ombros dela, puxando-a mais para si.

Laura afastou-se do irmão quando os pais apareceram no alpendre. O pai ia falar, mas a mãe impediu-o. Não queria mesmo que mais uma conversa entre pai e filha acabasse numa terrível discussão.

Entraram os quatro no carro e fizeram, em silêncio, a viagem até à escola. Chegados ao destino, os dois irmãos despediram-se dos pais e saíram do carro, juntando-se à azáfama de alunos junto do portão principal. Os pais, que tiveram de esperar para poder voltar a entrar no trânsito, ficaram a observar a chegada de Alex, que gritou o nome de Leo assim que os viu.

- Bom dia! – cumprimentou enquanto tirava da mochila uma penTrago aqui o trabalho, está acabado – disse a Leo

- Muito obrigado, Alex, a sério – Leo agradeceu enquanto aceitava a pen – Eu vou imprimir isto num instante – disse e deixou o amigo e a irmã ao portão da escola

- Queres ir ao bar beber um café? – Alex convidou

- Importas-te de esperar primeiro pelo Nick? Eu combinei com ele aqui – pediu e o rapaz concordou. Ficaram ali de pé, tentando ver se encontravam Nick no meio da multidão – Eu queria pedir-te desculpa por ontem, Alex – Laura disse de repente.

- Não tens de te desculpar por nada – Alex garantiu

- Mesmo assim… O meu pai acabou de descobrir que o Nick é gay e não aceitou nada bem… - A rapariga tentou encontrar uma forma de se explicar

- E de repente, entra em casa e depara-se com um homossexual e com um cigano em plena sala de estar – Alex concluiu por ela e viu como a rapariga corou – Eu percebi que o teu pai é um bocadinho… - não sabia como dizer aquilo sem magoar os sentimentos dela

- Preconceituoso, podes dizer – Laura disse – E não é apenas um bocadinho, é mesmo muito – contou – Enfim, eu quero pedir-te desculpa pelo comportamento dele – voltou a desculpar-se

- Já te disse que não tens de pedir desculpa, Laura – ele voltou a dizer – Pelo pouco que já conheço de ti, eu já percebi que não és nada como ele e isso é que importa – acrescentou, fazendo com que a rapariga ficasse mais descansada. Laura sorriu e ele retribuiu, permanecendo assim por uns segundos. Nenhum deles sabia bem o que dizer a seguir.

- Bom dia, bom dia! – Disse Nick quando se aproximou deles. Alycia vinha atrás de si – Não me digam que estavam à minha espera – o rapaz brincou com os amigos – E ainda fiz um desvio para trazer a Alycia, que traz novidades! – disse, totalmente entusiasmado

- É verdade! – Alycia confirmou, claramente orgulhosa do que estava prestes a contar – Amanhã à tarde já vou estar no jogo como cheerleader! – Esboçou um sorriso que mostrava o quanto estava feliz com a sua estreia. Laura abraçou a amiga para a felicitar – Estou a contar com a vossa presença no jogo! – avisou

- Não perdia por nada deste mundo – Laura confirmou a sua presença – Acho que até vou fazer um cartaz de apoio – lembrou-se

- Também podes contar comigo – Alex também confirmou a sua presença

- E tu também vais, não vais Nick? – Alycia virou-se para o amigo

- Achas que eu ia perder a tua estreia? – Nick perguntou, fingindo-se ofendido – E só aqui entre nós, eu adoro vê-los jogar! – admitiu, causando a gargalhada geral

- Bem, e agora vamos até ao bar beber café? – Laura perguntou, lembrando-se do convite que Alex lhe fizera minutos antes

- Na verdade tenho de voltar ao carro – Nick disse de repente – Deixei lá um livro que preciso para a aula – explicou, apesar de soar muito a desculpa

- Podemos ir contigo – Laura sugeriu – Vamos beber café depois

- Não é preciso, a Alycia vem comigo, não é? – Nick disse, virando-se para a amiga. O olhar que ele lhe lançou foi o suficiente para perceber qual era a ideia de Nick. E ela estava totalmente de acordo com essa ideia.

- Sim, vão lá beber o vosso café, nós depois vamos lá ter – Alycia alinhou no plano de Nick para deixar Laura e Alex sozinhos. – Até já! – e dito isto, ela e Nick “fugiram” dali.

Alex e Laura entraram finalmente na escola e foram até ao bar. Já só tinham cinco minutos até ao toque, mas era tempo suficiente. A conversa foi fluindo, maioritariamente com Alex a contar a Laura como estava a ser a sua experiência na escola. Quando a campainha tocou, Alex decidiu acompanhar Laura até à sala onde a rapariga ia ter aulas. No caminho para a sala da turma de Laura, passaram por Tim, Leo e Clarissa, que estavam junto dos cacifos. O olhar que Tim lançou a Alex era ameaçador, mostrando que não gostava que ele estivesse com Laura.

- A tua irmã devia ter cuidado com aquele tipo – Tim começou a meter veneno assim que os dois passaram por eles

- Qual é a tua, Tim? Até devias estar agradecido ao Alex, não te esqueças que é graças a ele que temos o trabalho feito! – Leo relembrou-o – Além disso o Alex não me parece ser do tipo de pessoa que faça mal a uma mosca – acrescentou, desvalorizando as preocupações do amigo

- O Tim tem razão, amor! – Clarissa meteu-se na conversa – Não o conhecemos de lado nenhum e depois… A tua irmã vai ser falada pela escola, o que vai afetar a tua reputação por aqui – disse

- Ou seja, vai afetar a tua reputação! – Leo respondeu, o que a namorada não apreciou muito

- Eu acho que o gajo anda a dar em cima dela e tu devias fazer alguma coisa! Ela merece alguém bem melhor que um cigano – Tim continuou a insistir. Já tinham deixado Clarissa, amuada, junto da sala dela, e caminhavam agora para a sala onde iam ter aulas.

- Alguém como tu, por exemplo? – Leo provocou o amigo – Se me disseres que gostas dela e que queres alguma coisa séria com ela, talvez eu possa interferir a teu favor – acrescentou

- Sabes bem que eu não sou assim – Tim defendeu-se – É verdade que acho a tua irmã gira e não me importava de…

- Podes parar por aí, Tim! – Leo calou-o – Podes ser o meu melhor amigo, mas com a minha irmã não te metes. Ela não é dessas, entendido? – E com esta pergunta a conversa foi terminada.

 

Depois da aula, o ponto de encontro foi o do costume. Laura e Alycia juntaram-se a Alex e Nick, que já estavam à espera delas. Tim e Leo juntaram-se a Clarissa, que àquela hora já tinha esquecido o amuo.

- A tua irmã bem que podia escolher melhor o grupinho de amigos! – Tim recomeçou, o que fez Leo revirar os olhos

- Não percebo qual é o teu problema, a sério que não!

- Tens de admitir que aquele grupinho é no mínimo estranho, Leo! – O rapaz nunca desistia quando se tratava de provocar alguém –De um lado temos a tua irmã e depois temos uma preta, um cigano e um maricas!

- Espera, qual deles… OMG! O Nick é gay? – Clarissa perguntou demasiado entusiasmada com a novidade – Como é que eu não sabia de nada?!

- Talvez porque é a vida dele e ninguém tem nada a ver com isso? – Leo perguntou de forma retórica

- Tenho de contar isto às raparigas, vai ser a bomba do ano! – Clarissa disse, ignorando a pergunta de Leo – Desde quando é que vocês sabem isso? Devias ter-me contado, Leo, és meu namorado!

- Não é uma coisa que me diga respeito, é a vida dele – Leo respondeu – E vocês não deviam estar a meter-se no assunto – Aconselhou

- Agora que me lembro, ele está sempre em tua casa! Não tens medo que ele se atire a ti ou assim? – Tim perguntou

- Eu não acredito que estamos a ter esta conversa! – Leo estava surpreendido, pela negativa, com a namorada e o amigo – Começo a perceber porque é que a minha irmã acha estranho eu dar-me com vocês – comentou

- Não sejas parvo, Leo! – Clarissa repreendeu-o – E por falar na tua irmã, ela devia mesmo pensar em dar-se com outras pessoas. Qualquer dia tem a escola toda a falar nela. Muita gente acha que ela e o Nick andam. Quando se descobrir que ele é gay, ela vai andar nas bocas do mundo! – A líder da claque disse, sempre preocupada com reputações – Acho que como tua namorada, e uma vez que não fazes nada, eu devia de falar com ela, aconselhá-la e…

- Tu não vais fazer nada, Clarissa! – Leo levantou o tom de voz – Tu não imaginas o que a minha irmã tem passado nos últimos dias! O ambiente entre ela e o meu pai está de cortar à faca, tudo por causa dos preconceitos do meu pai. Não vou permitir que vais deitar ainda mais achas para a fogueira. – Avisou – E o mesmo se aplica a ti, Tim. A Laura precisa de um descanso destas atitudes – acrescentou. Pegou na mochila e levantou-se.

- Onde é que vais? – Clarissa perguntou como se a razão estivesse do seu lado

- Está quase a tocar, vou andando para a sala – apenas disse e continuou o seu caminho. Ao ver o irmão passar, sozinho, Laura levantou-se e foi ter com ele

- Estás bem? Vi a Clarissa um pouco exaltada… - perguntou, preocupada

- O Tim disse-lhe sobre o Nick! – Leo disse. E foi o bastante para Laura perceber que mais problemas estavam a caminho. Entretanto, a campainha deu sinal de que estava na hora de mais uma aula.

....................

Boa tarde! Aqui fica mais um capítulo que eu espero que gostem :) Apesar de este ter sido um pouco mais calmo, depressa irão começar mais alguns problemas! Como podem ver, o Tim não está com grandes intenções de mudar as suas atitudes e parece que a Clarissa se juntou a ele. Apesar de que, no caso da Clarissa, ela está mais preocupada com que as pessoas vão dizer. O que acharam deste capítulo, gostaram? Posso dizer-vos que vem aí então primeiro jogo de Alycia na claque e está prestes a chegar uma festa! O que, para dizer a verdade, pode trazer ainda mais problemas. Espero que gostem do que aí vem! Entretanto, o início deste capítulo quase acabou no lixo. Tinha-o escrito numa folha de papel. Depois fui arrumar alguns papéis aqui no quarto e este já estava lá no meio. Corri tudo à procura do papel! A sorte foi que acabou numa caixa que ainda não tinha ido para o contentor. Foi uma sorte! Enfim, não se esqueçam de deixar as vossas opiniões. Fiquem bem e até ao próximo capítulo :)

4 comentários

Comentar post