Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

You And I

30
Dez18

You And I - Capítulo 13


JustAnOrdinaryGirl

Resultado de imagem para pol rubio gif

 

Laura entrou em casa um pouco depois da hora do costume. Como Leo não tinha voltado para a escola, Alex oferecera-se para deixar a rapariga em casa. Depois iria deixar Alycia, que normalmente ia com Nick. 

- Olá, pai! - Laura cumprimentou o pai, que estava sentado na sala a ler um jornal

- Vieste sozinha? Onde é que anda o teu irmão? - O pai perguntou em vez de retriuir o cumprimento da filha mais nova

- O mano deve estar a chegar, ele tinha umas coisas para fazer - Laura respondeu. E ele realmente tivera coisas para fazer. Tinha-lhe mandado euma mensagem a garantir que estava bem e que ia passar a tarde com Nick. Claramente não podia contar essa parte ao pai. - A mãe já chegou? - perguntou para mudar de assunto.

- Teve uma reunião e está um pouco atrasada - informou - Vou à cozinha buscar alguma coisa para comer, queres alguma coisa? - perguntou enquanto se levantava e pousava o jornal em cima da mesa

- Pode ser um copo de leite, se faz favor - pediu, pondo a mochila num canto e atirando-se para cima do sofá. Na cozinha, enquanto vertia o leite da filha num copo, o Sr. Collins reparou que um carro parou em frente à porta de sua casa. Quem quer que estivesse no carro permaneceu lá durante uns breves minutos. O homem deixou-se estar, tentando perceber de quem se tratava. Conhecia aquele carro de algum lado, só não se lembrava de ontem. Foi então que a porta do passageiro se abriu e, lá de dentro, saiu o filho. Depois saiu o condutor e o Sr. Collins reparou que era Nick, o rapaz que tinha proibído de entrar lá em casa. O copo de leite que tinha na mão quase foi parar ao chão. Assim que Leo entrou em casa, o homem foi ao encontro dele, ficando ainda mais apreensivo ao ver que Nick tinha entrado também. 

- Boa tarde! - o Sr. Collins disse em tom altivo - Posso saber onde é que andaste, Leonard? - perguntou, olhando do filho para o outro rapaz

- Tivémos umas coisas para fazer - Leo disse, encolhendo os ombros - Coisas da escola, pai! - esclareceu

- Podias ter avisado! - o Sr. Collins disse - E ainda não terminaram? - perguntou, referindo-se ao facto de Nick estar ali

- Já, mas o Nick veio trazer-me a casa e cumprimentar a Laura - disse. Nesse momento já Laura estava junto deles e depositou um beijo na bochcecha do melhor amigo. Não foram precisas palavras para ele entender o gesto como agradecimento pelo que tinha feito pelo irmão. Percebendo também que o Sr. Collins não estava a gostar da presença dele ali em casa, Nick despediu-se dos amigos e saiu dali. 

- Não precisavas de ter reagido assim, pai - Leo disse. Os três estavam agora a entrar na sala de estar e Leo sentou-se ao lado da irmã

- Vocês também sabem que não quero que se relacionem com esse tipo de gente e não cumprem, pois não? - Foi a resposta do pai. Desta vez não foi Laura quem revirou os olhos ou quem mostrou estar contra aquela atitude do pai. Leo levantou-se, pegou na mochila abandonada algures na sala, e deixou o pai com as suas ideias. Laura seguiu o exemplo do irmão. Já no quarto do rapaz, ele explicou à irmã o que se tinha passado e a conversa que tivera com Nick. Contou-lhe ainda que estava surpreendido com o rapaz, nunca pensou que ele pudesse ser tão amigo dele. Laura ficou feliz por ver o irmão a reagir e ficou ainda mais agradecida ao melhor amigo. 

- E quanto à Clarissa e ao Tim? - Laura quis saber - O que é que vais fazer ao certo?

- Vou falar com os dois. - Disse, decidido - Vou dizer à Clarissa que a nossa relação acabou, de vez, e vou tentar esclarecer as coisas com o Tim. Apesar de tudo somos amigos há anos e acho que a nossa amizade merece isso. 

No dia seguinte, Leo chegou à escola mais cedo. Encontrou-se com Clarissa e esclareceu, de uma vez, as coisas com ela. Explicou-lhe que, daquela vez, não a conseguia perdoar. A traição tinha sido a gota de água. Clarissa insistiu, como já era de esperar, que dessem uma nova oportunidade, o que Leo recusou. No final, a rapariga disse-lhe que os dois iriam ficar juntos e que, dali a uns dias, ele iria andar a rastejar aos pés dela. Afinal, tratava-se da líder da claque e de um dos melhores jogadores da equipa da escola. Claro que esse comentário só deixou Leo mais certo da sua decisão. Quanto a Tim, Leo continuava sem entender os motivos do amigo para lhe ter escondido aquilo. Tim dissera que apenas não tinha dito nada por não saber como dizê-lo, porque não tinha encontrado o momento para o dizer. Além disso, Clarissa era amiga dele há anos. No entanto, Leo percebeu que o amigo estava realmente arrependido e disposto a acabar com aquela zanga. Apesar de as coisas não terem ficado exatamente como antes, Leo e Tim voltaram a falar e a conviver, o que já era um bom recomeço. Nos dias que se seguiram, Leo passou mais tempo com a irmã e com os amigos dela. Tim estava muitas vezes com os rapazes da equipa e com a claque, e ele não queria ter de estar com Clarissa. Ela continuava convencida de que os dois iriam voltar a namorar em breve. 

Os dias passaram a voar e, quando deram conta, já era Natal. Os avós de Laura e Leo chegavam nesse dia para passarem o Natal em família. Laura mal podia esperar por ter a sua aliada lá em casa. 

- Estava cheia de saudades vossas! - Laura disse mal os avós entraram em casa - Ainda bem que vieram passar o Natal - Laura e a avó tinham ido para a sala de estar e estavam agora sentadas no sofá. Leo e o avô estavam a acabar de levar a bagagem para o quarto de hóspedes

Como têm estado as coisas? - A avó perguntou. Laura contou-lhe os últimos acontecimentos, não omitindo praticamente pormenor algum. Não sentia que tinha essa necessidade com a avó paterna. Falou-lhe de Nick, de Alex, de Alycia e até mesmo do facto de o irmão não estar já com Clarissa. 

- Gostava de ver o Nick, não o vejo há imenso tempo - A avó comentou. Leo e o avô juntaram-se a elas. Laura lembrou a avó da situação de Nick e das idas dele lá a casa, mas avó insistiu para que a neta o convidasse, sendo ela quem se iria responsabilizar pelos maus humores do pai da rapariga. Depois de alguma conversa entre todos, e depois de terem almoçado, a tarde foi passada na cozinha. Laura, a mãe e a avó estavam a tratar da comida para a ceia de Natal enquanto Leo, o pai e o avô organizavam a sala de estar e colocavam os presentes dos avós debaixo da árvore. Por volta das seis da tarde, a campainha da casa dos Collins tocou e Laura sabia perfeitamente de quem se tratava: Nick. Respirou fundo e preparou-se para a reação do pai ao ver o rapaz ali. E foi mesmo o Sr. Collins quem abriu a porta.

- Nicholas?! - perguntou ao encarar o rapaz, confuso com a presença dele ali - O que fazes aqui? 

- Fui eu que pedi à Laura que o convidasse, querido - A avó apareceu atrás do homem, sorrindo a Nick, e salvando-o do Sr. Collins e das suas perguntas - Olá, meu querido Nick! - ela aproximou-se e colocou-se à frente do filho, puxando o rapaz para dentro de casa - Há imenso tempo que não te via - comentou depois de terminar o abraço - A Laura tem-me falado de ti, mas não é a mesma coisa. Sabes que sempre foste como um neto para mim - levou o rapaz para a sala, debaixo do olhar atento do filho. Na sala, Leo ficou surpreendido ao ver o amigo ali e aproximou-se para o cumprimentar, o que claramente não agradou ao pai. 

- Não estava à espera de te ver cá por casa - Leo comentou

- A tua avó pediu-me que viesse - Nick disse - E aproveitei para vir desejar um bom Natal - acrescentou. Todos lhe agradeceram, até mesmo a mãe de Laura que acabara de se lhes juntar. O pai foi o único a não dizer nada. Limitou-se a sentar num dos sofás. - Ah, e aproveitei para trazer isto para ti, Laura - estendeu um saco com um laço a Laura, que o aceitou um pouco relutante

- Nick, ficámos de trocar os nossos presentes apenas amanhã, ainda não embrulhei o teu - disse

- Oh, esse presente não é meu, Laura - Nick disse, deixando a rapariga confusa - Apenas me pediram para to entregar - explicou

- Então de quem é? - perguntou sem perceber nada. Nick não disse nada, apenas ficou a olhar para ela - Diz lá, Nick! - implorou

- Vais mesmo ter de esperar pela meia noite, altura em que podes abrir isso! - Foi a única resposta - Mas se pensares um bocadinho, aposto que chegas lá amiga! - deu a pista mas Laura não pareceu entender. Ou então fez-se de desentendida

- Vá lá, maninha, não é muito difícil de adivinhar - Leo disse, colocando-se ao lado de Nick, o que não passou despercebido ao Sr. Collins, sempre muito atento a estes pormenores. Não queria, de todo, o filho demasiado perto de Nick. 

- Está na hora de irmos preparar-nos para a ceia de Natal - o Sr. Collins disse de repente, claramente a indicar que estava na hora de Nick voltar para casa. Laura revirou os olhos e a avó olhou o filho com alguma repreensão no olhar. 

- Eu também tenho de me ir embora - Nick disse, percebendo perfeitamente a mensagem do pai dos amigos - Adorei vê-la, avó Collins - disse, dando um abraço àquela que desde sempre tratava por avó 

- Também eu, Nick. E espero ver-te por cá na passagem de ano, a não ser que tenhas outros planos - A avó disse - Dá beijinhos aos teus pais e diz que eu vou lá visitar-vos um dia destes! - pediu. Nick deu abraço a Laura e depois despediu-se de Leo com um aperto de mão. Desejou um feliz Natal a todos e saiu da casa que, até há alguns tempos, podia considerar como segunda casa. 

Pouco tempo depois, a família Collins sentou-se à mesa para a ceia de Natal. Foi uma noite bastante agradável, com conversas animadas, onde todos se sentiram bem apesar das diferenças e problemas que ultimamente se tinham abatido sobre aquela casa. Com o ambiente que estava, a noite passou num instante e, quando deram conta, estava na hora de abrir os presentes. Era meia-noite certa quando Laura pegou no saco que Nick tinha deixado lá em casa nessa tarde. Estava ansiosa desde esse momento. Ela tinha quase a certeza de quem lhe tinha deixado aquele presente, mas mesmo assim não sabia o que sentia. 

- Então, Laurinha, abres ou não abres o presente? - Leo provocou, colocando-se ao lado dela, a tentar espreitar - O Nick disse à meia-noite - insistiu. A verdade era que também ele estava curioso com aquela prenda mistério. No momento em que Laura estava prestes a abrir o saco, o seu telemóvel deu sinal de uma mensagem. Ao ver o remetente, sorriu e abriu a mensagem. "Espero que gostes! Feliz Natal!💗 Alex"

A rapariga ficou tão feliz com aquele gesto que nem deu conta de que tinha toda a família a olhar para ela. Quando reparou, guardou o telemóvel, pegou no saco com o presente, e foi sentar-se no sofá para descobrir o conteúdo. Dentro do saco estava uma pequena embalagem e, lá dentro, estava um colar com dois pendentes. Um L, de Laura, e uma pequena guitarra que, sendo de Alex, ela percebeu imediatamente o significado. Leo, ao vê-la assim, aproximou-se e ofereceu-se para colocar o colar à irmã. Sorriu para ela e vê-la assim, tão feliz, fazia com que ele também ficasse feliz. 

- E podemos saber de quem é esse presente, afinal? - A mãe quis saber, olhando para o colar que a filha tinha ao pescoço

- E já agora, por quê uma guitarra? - o pai perguntou, confuso com aquela escolha

- É um presente de um amigo, nada de mais - Laura disse. Não podia propriamente dizer à família de quem era o presente. Os pais teriam um ataque e haveria, certamente uma discussão - E a guitarra é apenas... tem que ver com a nossa amizade - disse apenas, o que não deixava de ser verdade - Mas é apenas meu amigo, não é preciso estarem com essas caras - Laura disse de imediato, vendo as caras de admiração, curiosidade, surpresa de todos os presentes. Apenas Leo, e talvez a avó, sabiam a verdade toda e, por enquanto era assim que teria de ser. - E então, abrimos ou não abrimos os presentes? - mudou de assunto e os restantes acabaram por esquecer aquilo também, pelo menos por enquanto. Concentraram-se novamente na troca de prendas e na sala permaneceram durante mais um bom bocado. Mas antes, Laura respondeu à mensagem de Alex. "Obrigada, adorei. Feliz Natal. Beijo, Laura" Depois de enviar, decidiu acrescentar algo que Alex também lhe enviara na sua mensagem: "💗"

...........................

Boa noite! E aqui fica mais um capítulo de You And I. Decidi fazer um capítulo mais natalício para celebrar a época em que estamos. Acho que nunca tinha feito um capítulo de Natal antes, mas queria mesmo fazer algo assim, espero que tenham gostado :) O que têm estado  achar desta história e das personagens? Deixem as vossas opiniões aqui nos comentários e obrigada por continuarem a acompanhar💗 Fiquem bem e até ao próximo post! 

2 comentários

Comentar post