Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

You And I

13
Ago16

"Taking Chances" - Capítulo 22


JustAnOrdinaryGirl

Naquela manhã de domingo, Brittany e Claire estavam ambas na cozinha a acabar de preparar o almoço daquele dia de Páscoa. Apesar de todas as confusões, Brittany não seria capaz de deixar a mãe sozinha naquele dia, nem tal coisa lhe passara pela cabeça. Os Smith, os vizinhos, também iriam estar presentes, apenas porque Claire insistira que, apesar eles terem escondido a verdade de George apenas o fizeram porque ela lhes pediu. Ao contrário dos outros anos, por motivos óbvios, Henry não iria passar lá em casa, mas contavam com a presença de uma amiga de Claire.

- Mãe, acho que está tudo pronto – Brittany disse enquanto passava as mãos por água – Vou por a mesa e depois só temos de esperar que os convidados cheguem – acrescentou e tirou o serviço de loiça do armário

- Obrigada por não te importares que os Smith estejam presentes – Claire agradeceu – Eu sei que eles te mentiram, a ti e ao teu pai, mas eles só o fizeram por mim, por acharem que era para nos proteger. Além disso eles não têm cá mais família

- Tudo bem! – Brittany concordou – Eu sei que eles o fizeram por ti, apesar de isso não os desculpar por completo – falava enquanto colocava os copos na mesa – E essa tua amiga, eu conheço?

- Talvez te lembres dela de quando tu eras pequena – Claire disse – Ela costumava vir aqui várias vezes a casa mas depois foi trabalhar para fora. Agora está de regresso, também em trabalho, e decidi convidá-la para vir aqui – sorriu ao lembrar-se da amiga – É a Diane!

Apenas alguns minutos depois de terem a mesa posta, a campainha fez-se ouvir. Claire foi abrir a porta e deu de caras com o casal vizinho e com Diane, que vinha mesmo atrás deles. Brittany lembrava-se vagamente de Diane e tentou agir naturalmente com os Smith. O almoço estava a decorrer bem, tal como nos outros anos, havendo alguma conversa sobre assuntos banais. Depois de almoço os cinco reuniram-se na sala, assistindo a um dos típicos filmes que passa na TV nesta altura do ano. Quando Claire e Diane foram à cozinha buscar algumas amêndoas, Brittany sentiu-se estranha por estar pela primeira vez, depois de descobrir tudo, a sós com os Smith.

- Querida, sabemos que foste a Los Angeles ter com o teu pai – A Sra. Smith começou, fazendo com que Brittany a encarasse – Desculpa por nos termos metido nesta história e acabarmos por te magoar – desculpou-se e Brittany vislumbrou uma pequena lágrima no olho da senhora que sempre considerou uma avó – Mas sabes que às vezes as mães fazem coisas que pensam ser as melhores para os filhos. Lamento muito, querida – desculpou-se novamente, limpando agora o olho com a palma da mão. O Sr. Smith colocou a mão em cima da sua mulher, confortando-a.

- No dia em que soube a verdade foi como levar um murro no estômago – Brittany começou, encarando-os – Mas depois percebi que, apesar de tudo, finalmente tenho aquilo que sempre quis. Tenho um pai, tenho dois irmãos fantásticos. A minha mãe errou. Devia ter-me contado a verdade ou, pelo menos, não fazer do meu pai o mau da fita. Eu sei que ele também errou, devia ter lutado mais por mim. E vocês erraram ao não contar-me mas… a minha mãe sempre fez tudo para me criar e até aceitou o facto de eu namorar com o filho do homem que fez com que o meu pai a deixasse. E vocês sempre estiveram presentes na minha vida, sempre me trataram como uma neta, sempre estiveram nos momentos importantes. – Brittany sorriu em forma de agradecimento – Nestes últimos tempos aprendi que os sonhos se podem realizar, que as coisas más nos ensinam a ser mais fortes. Eu passei tanto tempo longe do meu pai e dos meus irmãos, não posso permitir que mais um erro me afaste das pessoas que sempre estiveram comigo, muito menos da minha mãe. E eu sei que para algumas pessoas pode parecer que esta é uma atitude ingénua, mas é assim que penso. Agora que tenho uma família, não posso permitir que nada a destrua, apesar de tudo. Ainda me custa, mas eu sei que consigo ultrapassar tudo isto! – A rapariga concluiu e aproximou-se das duas pessoas à sua frente, os “seus avós” e abraçou-os com força.

Os dias seguintes foram de regresso à rotina escolar. Havia dias que passavam depressa, com mil e uma coisa para fazer, e outros que pareciam ter o dobro das horas. Brittany e Anna aproveitavam algum do tempo livre depois das aulas para algumas videochamadas para Los Angeles, matando algumas das saudades. Por vezes apenas estava Gustav, George e Gabe. Outras vezes Eliza aparecia para dizer um “olá”. E por vezes até Jackson passava por ali para falar com as raparigas, em especial com Brittany. Anna e Gustav falavam também à noite, por telefone. E Brittany e Jackson também o faziam de vez em quando.

- Como estão as coisas em Nova Iorque? – O rapaz perguntou numa dessas conversas

- Estão na mesma, alguns dias frios outros quentes – Brittany respondeu, em tom de brincadeira

-Tenho saudades tuas! – Jackson disse e, apesar de não a poder ver, Brittany deu por si a sorrir – Fiz-te sorrir ou corar? – O rapaz provocou

- Nenhuma das duas – Brittany respondeu, tentando parecer séria – Não penses que tens assim tanto efeito em mim, Jack! Mas por acaso também tenho saudades tuas! – Admitiu, corando novamente

- Se não tivesse o trabalho e as aulas metia-me num avião e ia fazer-te uma visitaJackson disse

- Não sejas parvo! Não podes deixar as tuas coisas só para me visitar – a rapariga disse-lhe – Temos falado várias vezes e daqui a uns tempos ambos estamos livres das aulas, nessa altura podemos visitar-nos um ao outro.

- Por mim isso acontecia já amanhã. Vou ter voltar ao trabalho, estou no turno da noite no hotel - informou

- Então vai, não quero que te prejudiques no trabalho por minha causa Brittany disse

- Por ti não me importava, Brittany – o rapaz disse e Brittany corou ainda mais. Ultimamente corava demais, onde já se viu ficar assim por causa de uma conversa por telefone

- Não sejas parvo, vai mas é trabalhar – Brittany disse, tentando manter a voz normal – Falamos depois – acrescentou

- Dorme bem!Jackson disse antes de desligar a chamada

Os meses seguintes acabaram por ser uma correria, com testes, trabalhos. Faltavam apenas dois dias de aulas, finalmente. E, se tudo corresse com esperado, em breve Anna e Brittany fariam uma visita até Los Angeles, mas talvez desta vez tivessem alguma companhia. Depois das aulas, Brittany foi para casa, chegando ao mesmo tempo de Claire, que tinha parado na mercearia.

- Ainda bem que já estás em casa, mãe, preciso de falar comigo – Brittany disse quando ambas entraram em casa

- É sobre o Henry? – Claire perguntou

- Sobre o Henry? Porquê, aconteceu alguma coisa? – A rapariga ficou preocupada. Apesar de tudo o que se passara entre eles, não queria que lhe acontecesse nada

- Pensei que soubesses que ele e aquela rapariga lá do trabalho andam a namorar – Claire anunciou

- Não fazia ideia – admitiu. Sabia bem que era a rapariga, a única que trabalhava com ele. A Kate, que costumava andar atrás dele, a tentar alguma coisa – Mas espero que as coisas lhe corram bem, ele merece – disse, sincera – Mas eu queria falar-te de outra coisa! – Esperou que a mãe bebesse a água que servira – A formatura do Gustav é no próximo domingo. Ele já tinha comentado antes mas entretanto ele convidou-me para ir…

- E queres saber se eu te deixo ir a Los Angeles, é isso? – Claire perguntou – Agora que sabes de tudo não há nada que me impeça de te deixar ir. Presumo que a Anna te acompanhe, já que ela namora o teu meio… O teu irmão.

- Sim, a Anna vai comigo. E os pais dela também vão para conhecerem o Gustav, o pai, a Eliza – Brittany contou – Mas não era autorização que eu te queria pedir, mãe

- Então? – Claire estava confusa

- O Gustav e o pai gostavam que tu também estivesses presente, mãe – Brittany disse e Claire ficou surpreendida – Então, mãe, queres ir comigo à formatura do Gustav?  

.............

Olá! Aqui está mais um capítulo e este acabou assim em aberto. O que acham que Claire vai decidir? A não ser que à ultima da hora eu me lembre de mais alguma coisa para escrever, apenas haverá mais um capítulo e depois o epílogo! Entretanto, o que acharam? Deixem as vossas opiniões! Fiquem bem e até ao próximo capítulo :) 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.