Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

22
Nov21

You And I - Capítulo 94


JustAnOrdinaryGirl

Pastel torta GIF - Pesquisar em GIFER

Laura, Nick, Leo, Alex, Alicia e Tim esperavam ansiosamente por novidades à porta do gabinete do diretor. Isabella estava lá dentro ao que lhes parecia uma eternidade. Todos estavam conscientes do que era provável que ia acontecer com a professora, mas precisavam de ter a certeza. Finalmente, Isabella saiu, seguida do diretor. 

- Fiquem por perto porque vou querer conversar com vocês! - O diretor avisou. Continuava com uma expressão de desagrado, o que não abonava nada a favor deles. Depois, sem dizer mais nada, seguiu caminho. 

- Então, professora, qual foi o veredicto? - Laura perguntou 

- Exatamente aquilo que eu esperava... - ela disse, triste. Laura pegou-lhe nas mãos, a tentar consolá-la. 

- Isso não é justo! - Nick disse - Deve haver alguma coisa que possamos fazer...

- Não, não há mais nada que possam fazer, meninos! - Isabella disse, tentando impedir qualquer ideia - Tudo o que têm de fazer agora é ir às aulas e terminar o ano letivo. - Ela disse - Duvido que a conversa com o diretor seja simples. Ele está furibundo - informou-os - Adorava poder continuar aqui, por vocês. Mas eu já sabia que esta minha ideia ia ter consequências. No entanto, não me arrependo nada de ter ido até ao fim. Eu sou despedida, mas pelo menos agora as pessoas sabem o que se passa aqui. Agora todos estão à espera que seja feita alguma coisa. Ninguém vai querer deixar os seus filhos nesta escola se as coisas não mudarem. O meu despedimento vai acabar por se tornar público e a carta que foi enviada para o ministério vai ser lida depois de termos sido notícia. - Isabella continuou - Quanto a vocês, espero que continuem a lutar sempre pelos vossos direitos e que nunca deixem de acreditar que é possível mudar as coisas para melhor. E Laura... - Isabella pegou novamente nas mãos da morena, fixando-lhe o olhar - Nunca percas essa garra, essa vontade de lutar contra tudo e contra todos para defender aquilo em que acreditas. Já passaste por muito só este ano letivo, por isso não desistas. - Aconselhou, a sorrir - Eu não vou estar por cá, mas vou estar sempre disponível para vos ajudar no que precisarem - Chamou-os a todos para um abraço de grupo. Não era exatamente uma despedida, mas não deixava de ser doloroso. Isabella tinha-se arriscado para os defender e agora estava a pagar por isso. Mas, no fundo, todos tinham esperança de que aquele protesto lhes trouxesse algo de positivo, demorasse o tempo que demorasse. Quando se separaram, repararam que alguém se tinha aproximado deles - Mãe? - Isabella olhou para a mulher, com uma caixa nos braços - O que é que isso significa? - perguntou, apontando para a caixa

- Não vou continuar na secretaria... - ela informou, deixando todos surpresos

- Despediram-na?! - Foi Alex quem perguntou

- Não, fui eu que me despedi... - ela revelou - E não vale a pena tentares fazer com que eu mude de ideias, Bella! - avisou ao ver o olhar da filha - Não posso nem quero continuar num sítio onde tu és despedida por defenderes os teus alunos. É isso que os professores devem fazer e isso não pode, nunca, ser motivo de despedimento! - explicou - Além disso, estou quase na idade da reforma e este trabalho já se está a tornar cansativo. Não te preocupes comigo, vou ficar bem! - garantiu, dando um abraço à filha - Quanto a vocês todos, boa sorte! Vão precisar... - Isabella e a mãe despediram-se mais uma vez de todos e saíram da escola, deixando o grupo novamente sozinho. Tocou para o período de almoço e os corredores encheram-se de alunos. Houve alguns que lhes agradeceram, muitos dos quais que já tinham sido vítimas de Tim. Mas, naquele momento, agradeciam que ele se tivesse desculpado e admitido, o que para ele era um sinal de que as coisas pudessem realmente correr bem. Mas depois apareceram os elementos da equipa de futebol e as raparigas da claque. Esses não os felicitavam. Limitavam-se a mandar bocas e a criticar. Mas no fundo já todos sabiam que era isso que ia acontecer. 

- Entrem no gabinete, por favor! - O diretor Peter disse, sem se anunciar antes, fazendo com que o grupo se sobressaltasse - Qual de vocês me vai explicar o que aconteceu esta manhã? - perguntou assim que o grupo se reuniu à volta da sua secretária. Alycia e Laura sentaram-se à frente deles, os quatro rapazes de pé, atrás delas - O que é que vos passou pela cabeça? - estava irritado, era óbvio pelo seu tom de voz

- As coisas não estão bem e nós fizémo-nos ouvir! - Laura respondeu, sem rodeios

- E não acham que deviam ter vindo falar comigo antes? - Peter perguntou, como se fosse a coisa mais óbvia de se fazer

- E acha que valia a pena? - Laura questionou - Dois alunos tiveram de desistir da equipa de futebol por atitudes homofóbicas do próprio treinador, e o diretor manteve-se calado, estando na reunião. Aliás, foi o diretor quem permitiu que aquela reunião descabida acontecesse. Eu fui atropelada por causa dessa reunião e o aluno é expulso, mas não se faz absolutamente mais nada. Nem sequer se chamam os alunos para que percebam o quão errado é o que aconteceu. Ao longo de todos estes anos, houvr alunos a ser humilhados, destratados... Nunca ninguém fez nada! E escusa de dizer que não sabia, porque houve várias queixas! - Laura disse. Não se ia calar, independentemente das consequências

- E o Timothy, segundo me constou, foi um dos alunos que vos "destratou?" - ele perguntou, fugindo um pouco à acusação de Laura - Mas parece que se dão todos muito bem... Será que essas humilhações não foram assim tão graves... - ele disse, deixando todos incrédulos

- Só pode estar a gozar comigo! - Laura disse, também ela a começar a ficar irritada

- Laura... - Leo disse, pondo-lhe a mão no ombro, tentando que ela se acalmasse

- Não, Leo, eu não me vou calar! - ela disse, virando-se novamente para Peter - O Tim errou, sim. E já o admitiu. Aliás, o Tim pediu desculpa! Admitiu na televião que tinha errado e isso é muito mais do que alguma coisa que a escola fez - continuou

- Seja como for, não deveriam ter agido desta maneira. Deveríamos todos ter tido uma conversa e ter chegado a uma melhor solução. Percebo que, de certa forma, se tenham deixado levar pela conversa da professora Isabella... - o diretor retomou o seu discurso 

- Ninguém se deixou levar na conversa! - Nick falou - A professora Isabella foi a única que se preocupou em fazer alguma coisa para resolver esta situação... 

- Enfim... Espero que compreendam que terei que tomar medidas. Caso contrário, os restantes alunos vão pensar que podem manifestar-se por tudo e mais alguma coisa... - ele disse, fazendo cada vez menos sentido

- E vai fazer o quê?! - Leo quis saber - Dispensar-nos tal como fez com a professora que cumpriu o dever dela e decidiu defender os alunos? - perguntou, provocador

- Isso, condene as vítimas e deixe os verdadeiros culpados continuar a andar pela escola como se nada fosse... - Laura disse, incrédula

- Bem, nem todos vocês são vítimas, não é verdade? - questionou, voltando o seu olhar para Tim - Talvez o Tim possa servir de exemplo... - sugeriu

- Se o Tim sair desta escola, então eu vou atrás! - Alycia disse

- Não, Alycia, nem penses que... - Tim tentou falar, mas foi interrompido

- E pode deixar de contar connosco também! - Leo acrescentou, falando em nome dos restantes

- Boa sorte a tentar explicar ao Sr. Edward Collins o por quê da filha sair da escola uns meses antes de terminar o ano letivo. Ele vai adorar saber! - Laura disse. Tinham de usar todas as armas e ela sabia bem que a escola precisava do dinheiro do pai

- Isso é chantagem! - Peter quase gritou

- Talvez seja... - Nick falou - Mas parece que é a única forma de conseguirmos alguma coisa nesta escola, não é? - questionou 

- E foi o diretor quem nos ensinou... - Alex atirou - Que nós saibamos, foi o diretor que aceitou a chantagem do pai da Laura e do Leo em relação à permanência de jogadores homossexuais na equipa... - acusou, deixando o diretor sem palavras por alguns momentos.

- Então, diretor? O que é que nos vai acontecer? - Laura perguntou. O silêncio instalou-se enquanto todos eles fixavam o diretor. E o olhar dele passava por cada um deles.  Era uma decisão em que tinha de pensar bem, pois, para ele, era a sua imagem que estava em causa. E essa ele não queria manchar ainda mais. 

.................................

Bom dia! Como estão? Aqui fica mais um capítulo, que espero que gostem :) Como é que acham que vai ser a partir de agora, depois desta manifestação dos alunos e desta conversa com o diretor? Obrigada a quem está desse lado, a acompanhar! Fiquem bem e até ao próximo capítulo :)