Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

You And I

06
Mai17

"Amnesia" - Capítulo 3


JustAnOrdinaryGirl

- Lamento imenso interrompê-la, inspetora, mas já percebeu claramente que esta conversa não vai servir de nada – Clark falou, fazendo Lydia olhá-lo furiosamente – A April está com amnesia – repetiu o que já tinha dito várias vezes ao longo das infindáveis perguntas da inspetora

- E eu tenho um caso para investigar, doutor – Lydia disse, em tom autoritário, como se a razão estivesse apenas do lado dela – Como já deve ter percebido, a menina April é a única pessoa que neste momento me pode dar pistas. Os outros dois estão mortos! – Estas últimas palavras fizeram a jovem de 18 anos sobressaltar-se – Lamento, mas é a verdade! – Disse, desta vez mais calma

- Eu percebo o seu lado, inspetora – o médico começou – Mas neste momento, a April não a vai ajudar em nada – continuou, olhando alternadamente para Lydia e para April – Eu vou levá-la para fazer alguns exames, para percebermos o que se está a passar com ela e se é um problema temporário ou não. Além disso, temos de tentar encontrar a família dela – explicou

- Achei que ela tivesse tido visitas ao longo destes meses – Lydia reparou

- Sim, teve – Clark confessou – Mas o rapaz não deixou contacto e temos de aguardar que ele volte para falarmos com ele – acrescentou – Portanto, se não se importa, peço-lhe que nos deixe trabalhar. O que quer que tenha acontecido naquele acidente, neste momento, não é mais importante do que perceber o que se passa com ela – pediu, mantendo sempre a compostura, mesmo perante o ar contrariado da inspetora

- Muito bem, eu vou aguardar que façam o vosso trabalho – Lydia acabou por ceder – Mas avisem-me assim que esse familiar aparecer ou assim que tiverem alguma novidade em relação à amnesia da April – pediu, saindo depois do quarto sem dizer mais nada

- Obrigada – April disse, aparecendo-lhe um pequeno sorriso no rosto

- Apenas estou a tentar fazer o meu trabalho, não tens de agradecer – Clark sorriu de volta – Vamos lá então fazer os exames? Está na hora de percebermos o que se passa contigo – ajudou a rapariga a passar da cama para uma cadeira de rodas que ali se encontrava e seguiram para a zona onde eram feitos os exames.

Passado algum tempo, e depois de realizados todos os exames médicos necessários, April foi levada novamente para o quarto, desta vez por uma enfermeira, e foi instalada naquela que agora era a sua cama.

Acabou por adormecer, apesar de não ter a certeza de quanto tempo estivera assim. Quando acordou apercebeu-se de que não estava sozinha. Um rapaz, não muito mais velho que ela, de cabelo meio desgrenhado, calças pretas rotas num joelho, uma camisola branca, um casaco de cabedal e umas botas pretas estava sentado no cadeirão num canto do quarto. Olhava-a com atenção, talvez até alguma curiosidade. April endireitou-se mais, encarando depois o rapaz. Não disse nada, permaneceu apenas de olhos fixos nele.

- Olá, April – O rapaz quebrou o silêncio

- Olá – a rapariga disse, sem saber dizer se devia ou não dizer mais alguma coisa. Antes de poder pensar no que dizer a seguir, ouviu uma leve pancada na porta e logo depois Clark apareceu

- Oh, olá John – cumprimentou assim que viu o rapaz – Ainda bem que está por cá. Queríamos tê-lo informado de que a April tinha acordado mas não deixou qualquer contacto – acrescentou, justificando-se

- Passei por cá hoje e avisaram-me – John disse, levantando-se e indo para perto da cama de April – Fiquei bastante feliz quando soube que ela está acordada – sorriu à rapariga, que ficou ligeiramente desconfortável – Ela está totalmente recuperada? – Perguntou depois, olhando agora para o médico

- A nível físico, como feridas, hematomas, está praticamente recuperada. Mais uns dias no hospital para observação e alguns medicamentos e poderá ter alta – informou, olhando de vez em quando para a ficha de doente – Mas há um problema – disse – A April acordou com amnesia

- Amnesia? – John perguntou, um pouco surpreendido – Isso quer dizer que…

- Ela não se lembra de absolutamente nada – o médico explicou – incluindo do acidente – acrescentou, observando o rapaz – Já foram feitos vários exames mas não encontrámos nenhum problema aparente. Provavelmente será uma amnesia temporária, causada pelo choque do acidente, por alguma pancada na cabeça – informou – Mas vamos estar atentos, vamos fazer mais exames até termos a certeza do que se passa e até ela recuperar a memória – disse, com um sorriso esperançoso

- Quer dizer que ela vai voltar-se a lembrar? – Perguntou John, querendo ter a certeza do que Clark dizia

- Sim, acreditamos que sim – Clark confirmou – Entretanto preciso de saber algumas informações sobre a April, se me puder ajudar – pediu – Informações sobre os pais, contactos, esse tipo de coisas – clarificou

- Ela não tem pais! – disse o rapaz sem rodeios. April estremeceu e Clark olhou para ela – Ela viveu numa instituição até fazer 18 anos e depois puseram-na de lá a mexer – acrescentou, um tom frio fez-se notar

- Lamento ouvir isso – Clark disse, olhando depois para April, que tinha algumas lágrimas nos olhos – E tu, quem és? – Perguntou, os seus olhar novamente em John

- A única pessoa que ela tem neste momento – John respondeu – Não te lembras de mim, April? – Encarou a rapariga

- Estou com amnesia, lembras-te? – April perguntou, friamente, limpando depois as lágrimas que lhe tinham escorrido pela cara

- John, acho melhor a April descansar um pouco – o médico sugeriu – Um paciente com amnesia não pode receber muita informação de uma vez. Além disso, ela acordou do coma há pouco tempo e ainda há alguns exames a fazer – acrescentou

- Tudo bem – John concordou – Eu volto em breve – acrescentou. Olhou novamente para a rapariga e antes de sair aproximou-se para lhe dar um beijo na testa. April estremeceu – Até breve, April – dizendo estas palavras, saiu

Assim que a porta do quarto se fechou, April soltou as lágrimas que estava a segurar. Clark olhou para ela, pensando no que haveria de fazer ou dizer. Acabou por se aproximar mais da loira e abraçou-a, tentando reconforta-la.

- Lamento imenso que tenhas sabido assim, April – sussurrou, ouvindo os soluços da jovem – Lamento – repetiu. Depois interrompeu aquele abraço e sentou-se na cama, pegando na mão de April – Eu prometo que vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para te ajudar a recuperar a memória – disse

- Depois do que ouvi, do que você ouviu, acha que vale a pena lembrar-me de alguma coisa? – A loira perguntou, encarando o médico

- Vale sim, April – ele contrariou-a, passando a sua mãe pelo rosto dela, limpando uns vestígios de lágrimas – Haverá certamente alguma coisa boa que faça valer a pena recuperares as tuas memórias – sorriu-lhe

- Talvez – April apenas disse, respirando fundo logo de seguida – Mas preciso que me prometa outra coisa – pediu – Preciso que me prometa que não deixa o John voltar aqui, não o quero por perto – acrescentou

- Prometo – Clark acedeu ao pedido da rapariga. Ficou mais uns minutos no quarto e depois saiu, deixando April pronta para dormir. Algo lhe dizia que aquela história seria mais complicada do que aparentava.

........................

Boa tarde! Aqui fica o terceiro capítulo de "Amnesia" e eu espero que tenham gostado! Finalmente apareceu o John, logo com novidades sobre a família da April. Esta história ainda tem muito para contar. E a inspetora Lydia não vai descansar enquanto não souber tudo! Deixem as vossas opiniões aqui nos comentários :)

Queria também pedir-vos deculpa por não ter havido capítulo na semana passada. Não estive muito bem durante o fim-de-semana passado e não consegui abstrair-me dos problemas para conseguir publicar. Felizmente está tudo resolvido. Mas achei que devia pedir desculpa. Espero que gostem do capítulo de hoje :) Fiquem bem e até breve!

3 comentários

Comentar post