Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

12
Set21

You And I - Capítulo 91


JustAnOrdinaryGirl

Pol y bruno - Album on Imgur

Depois da reunião, o grupo almoçou no bar da escola. No final das aulas desse dia, acabaram por se separar. Alex tinha ido ter com os pais, Nick tinha ido direto para a estação para ir buscar, mais uma vez, a tia e Tim e Alycia tinham ido para casa, para mais um jantar de família. Ninguém sabia como conseguiam aguentar esconder o que se passava dos pais. Começava a ser difícil disfarçar aqueles olhares entre ambos. 

Já Laura e Leo tinham combinado de se encontrar com Theresa para visitarem uma casa que lhe parecera perfeita para a família. 

- Estás bem? - Laura perguntou ao irmão enquanto caminhavam lado a lado - Pareces meio distante desde aquela reunião com a professora Isabella... - ela reparou

- Tenho estado a pensar... - ele admitiu e, perante o silêncio seguinte, Laura esperou que ele dissesse mais alguma coisa - É que houve tanta coisa a mudar nos últimos tempos... - recomeçou - Tu sabes como até há bem pouco tempo eu nunca tinha pensado sequer na hipótese de gostar de alguém que não fosse uma rapariga... ou a Clarissa. Depois dei por mim a apaixonar-me pelo Nick. E quando finalmente comecei a aceitar que isso me estava a acontecer, acabei a ser expulso de casa. Para não falar no facto de ter sido quase obrigado a assumir-me. Eu acho que não estava preparado para que todos soubessem, para ter de lidar com os comentários, com os olhares... com tudo. - Leo contou e Laura ouvia atentamente - E agora isto da professora Isabella... Eu sei que é importante e urgente que se saiba o que se está a passar nesta escola. O que eles têm feito com os alunos, ou o que têm deixado fazer aos alunos, é muito grave e precisa de ser parado. Só que agora sinto que estou a ser o rosto de uma campanha contra o preconceito e não sei se me sinto preparado para que todas as pessoas me vejam assim, percebes? - Laura apenas assentiu, deixando-o prosseguir - Quer dizer, eu amo o Nick e quero mesmo que as coisas resultem entre nós. Nunca me senti assim antes... - confessou, apesar de Laura já ter percebido isso há muito. Talvez antes mesmo de ele próprio - E há uma parte de mim que quer fazer isto como uma espécie de vingança contra o pai, sabes? É horrível, mas é verdade e... Tenho medo que o Nick pense que estou a fazer isto apenas pela vingança e não por nós os dois... - admitiu

- Eu acho que o Nick nunca iria pensar uma coisas dessas, Leo. Mas se é isso que sentes, então devias falar com ele antes de tomares uma decisão - Laura aconselhou - E ninguém te está a pedir que sejas a cara de campanha alguma. Apenas queremos que estejas connosco, quer queiras ou não deixar o teu testemunho. Mas se o vais fazer, fá-lo por ti! Não pelo Nick, não por causa do pai... Mas por ti! - ela acrescentou, dando-lhe a mão - Tenho a certeza de que há imensas pessoas nesta escola, e noutras, que passam por situações parecidas mas têm medo de se abrir, de pedir ajuda. Só o facto de estarmos a tomar esta iniciativa já pode ajudar imensas pessoas. Por isso fala com o Nick e depois decides aquilo que queres fazer. Talvez apenas tenhas a certeza no momento em que vires outros a fazer o mesmo. - disse. O irmão sorriu e abraçou-a. Depois, sem necessidade de falarem mais sobre o assunto, foram ter com Theresa. 

***** ***** ***** ***** *****

- Hey... - Nick disse quando entrou no quarto - Estás bem?

- Sim... - Leo disse, a sorrir ao namorado - Os teus pais não levaram a mal de eu ter vindo para o quarto, pois não? - pergntou, ligeiramente preocupado

- Claro que não. A dor de cabeça convenceu-os... - Nick disse, ficando a encará-lo

- Mas não te convenceu a ti... - Leo constatou

- Acho que te conheço demasiado bem... - Nick admitiu - Quer dizer, eu sei que és bem capaz de estar com dor de cabeça. Mas também sei que há mais qualquer coisa... Estou enganado? - sentou-se na cama e Leo seguiu-lhe o exemplo. Já que a tia de Nick estava novamente de visita, os dois iam partilhar o quarto novamente. - Queres contar-me o que se passa?

- Acho que a minha mãe já encontrou a casa perfeita... É perto de onde moravam os meus avós antes... - Leo começou

- E estás assim por causa disso? - Nick estranhou

- Mais ou menos... A minha mãe gostava que eu fosse viver com elas, mas... Tu ficas chateado se eu for? É claro que eu quero viver contigo, um dia, mas...

- Mas na nossa casa... - Nick acrescentou, interropendo o discurso de Leo. O rapaz assentiu - É claro que não fico chateado, Leo! Eu estou a adorar a eperiência e um dia quero viver contigo, numa casa que seja nossa. Tem sido fantástico, mas com os meus pais aqui não é a mesma coisa. E quero que vivamos juntos pelos motivos certos, quando for altura disso, e não porque o teu pai te epulsou de casa. Talvez até seja daqui a pouco tempo, quem sabe. Sempre soubemos que seria uma situação temporária e é claro que não fico triste ou chateado. Ficava triste se saísses daqui por nos tremos chateado. Mas se saíres daqui significa que estás de volta à tua família, então só tenho de ficar feliz por ti... E quanto ao outro assunto, também não vou ficar chateado ou desiludido! - disse e piscou-lhe um olho

- Outro assunto? Como é que sabes que há mais? - Leo perguntou, confuso

- Falei com a Laura e ela mencionou isso... Sabes como é a tua irmã. Ela apenas quis ajudar. Além de tua irmã, é a minha melhor amiga e ela sabia que estavas com problemas em abordar o assunto... Não fiques chateado com ela! - pediu

- Até lhe agradeço. Não sabia mesmo como te dizer ou o que te dizer... - Leo disse, um pouco envergonhado - Desculpa! - pediu

- Eu percebo as tuas dúvidas, tambem já passei por isso. - Nick disse, descansando-o - E faço das palavras dela, as minhas! Faz o que sentires que tens de fazer no momento e fá-lo sobretudo por ti! - Sorriu-lhe e deu-lhe um beijo de leve nos lábios - Vamos dormir? - perguntou, com a cabeça enconstada à de Leo - Acho que amanhã vai ser um dia de emoções - disse

- E não têm sido todos, ultimamente? - Leo perguntou, a sorrir - Nunca pensei que a professora Isabella fosse tão rápida. - Comentou. Ela tinha mandado mensagem nessa tarde a dizer que, depois de conversar com a amiga jornalista, tinham decidido apressar as coisas e que lhes explicaria no dia seguinte de manhã. - Mas sim, vamos dormir e aproveitar estarmos os dois no mesmo quarto - O moreno acrescentou com um sorriso provocador

- Algo que temos de agradecer à minha querida tia - Nick disse, também ele a sorrir. No meio da "guerra", aqueles eram os  momentos pelos quais tudo valia a pena. 

***** ***** ***** ***** *****

- Estás nervoso para amanhã? - Alycia perguntou. Estava deitada ao lado de Tim, no seu quarto. Os pais de ambos já tinham ido dormir e o rapaz aproveitara para se esgueirar para o quarto dela. Precisava de companhia. 

- Mais ou menos... - ele admitiu - Tu estás?

- Nem por isso! - Alycia disse - A professora Isabella sabe o que está a fazer e isto é uma forma de finalmente mostrar o que se passa naquela escola. É o dia em que posso mostrar a todos aquilo que os considerados diferentes têm passado. - ela disse

- Pois, mas no meu caso, é diferente... - virou-se para ela - Eu era uma das pessoas culpadas por vocês se sentirem mal...

- Pois eras... - Virou-se também para o olhar - Mas agora és uma das pessoas que mudou e que está disposta ajudar-nos. Acredita que isso faz toda a diferença. A professora Isabella e o nosso grupo acreditou em ti e sabemos que desta vez vais fazer a coisa certa. - Ela continuou - Todos erram, mas nem todos têm a capacidade de perceber isso e de mudar. Vê isto como uma forma de mostrares isso mesmo, de passares a imagem de que é possível mudar. - Sorriu-lhe e passou a mão no rosto dele

- Tenho medo de... sei lá, de ser punido e de perder tudo... de te perder! - Tim admitiu

- A mim não me vais perder, Tim! - Alycia garantiu - Depois de tudo, eu fui a primeira a acreditar em ti. E se estou aqui contigo, é porque te perdooei. Não tens nada a temer. E, se fores punido de alguma forma, eu vou continuar contigo... Até porque tenho a certeza de que os nossos pais vão acabar casados e nós não nos livramos de ser... irmãos! - disse, levando Tim a fazer uma careta nesta última parte

- Pois, vamos ter de resolver esta situação... - Tim disse. Não conseguia ver Alycia como irmã. Era impossível depois dos últimos acontecimentos. 

- Isso sim é algo que me deixa nervosa... - ela admitiu - Não sei como é que o meu pai vai reagir quando descobrir que o que se tem vindo a passar... - ela disse, um pouco para o provocar

- Ele é muito complicado no que diz respeito a rapazes? - Tim perguntou, um pouco assustado  

- Depende... Acho que se descobrir que vens para a minha cama a meio da noite, mesmo debaixo do nariz dele... - Alycia disse, tentando parecer muito séria

- Pois... Acho que vou andando... O sofá está há muito tempo sozinho... - Tim disse, engolindo em seco só de pensar, enquanto se dirigia para a porta 

- Hey... - ela chamou - Esqueceste-te de uma coisa! - E, levantando-se, deu-lhe um beijo antes de o deixar sair. Depois, quando ele a deixou sozinha, riu-se. Quem diria que Tim Parker era assim. 

......................

Boa tarde, como estão? Espero que gostem de mais um capítulo. No próximo será o grande dia. Espero que gostem e obrigada a quem tem acompanhado, mesmo com as minhas demoras em publicar. Fiquem bem e até ao próximo capítulo :)