Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

13
Jun21

You And I - Capítulo 87


JustAnOrdinaryGirl

Fin del Benidorm Summer Festival 2016!

- Estava a ver que não me atendias o telefone... Posso saber onde raio te meteste? - Edward perguntou, claramente irritado, fazendo com que Theresa se arrependesse imediatamente de lhe ter atentido a chamada. 

- Saí de casa, Edward... - Theresa decidiu dizer logo a verdade. Não lhe adiantava estar com rodeios

- Mas saíste de casa como? - Edward perguntou, não querendo acreditar no que estava a ouvir

- Saindo, Edward! - ela respondeu. Estava sem paciência. - Eu disse-te, no hospital, que quero o divórcio. E depois de tudo, achas mesmo que eu ia conseguir continuar na mesma casa que tu? - perguntou, zangada - O que tu fizeste foi demasiado grave e desta vez não há volta a dar - acrescentou, para o caso de ele ainda não ter percebido

- E já te esqueceste do que tens a perder? - Edward questionou. Mais uma vez, lá estava ele a recorrer à chantagem para tentar conseguir o que queria 

- A única coisa que eu posso perder é a casa, Edward! - Não ia cair novamente nas mentiras dele - Tenho os meus pais e a minha irmã de volta, o prazo para aquela dívida dos pais do Joseph já passou, por isso nem sequer podes pegar por aí - ela começou

- E os miúdos? - ele quis saber

- A sério? - ela perguntou, incrédula - Expulsaste o Leo de casa, caso não te lembres. E já que a relação dele com o Nick está para durar, não me parece que o queiras de volta. Além de ele ser maior de idade. - disse, sentindo Edward engolir em seco quando ela falou na relação do filho com o namorado - Quanto à Laura... É verdade que ela ainda é menor, mas dadas as circunstâncias, não me parece que consigas a guarda dela... - continuou

- Não te esqueças que eu...

- Que tu és um dos melhores advogados e que o teu nome tem importância... - Theresa interrompeu-o - Eu sei disso tudo, Edward. Espero é que não te esqueças que a Laura é nossa filha, não um objeto para ser disputado - avisou - Ela está mesmo zangada contigo... Triste, dececionada... Se ainda pensas em recuperar a tua filha e a relação com ela, sugiro que não compliques mais esta situação. Caso contrário, corres o risco de ela se afastar de vez. Já basta o que basta... - Theresa aconselhou. Apesar de tudo, não queria que os filhos se afastassem completamente do pai. 

- Então quer dizer que não voltas mesmo para casa? - Edward perguntou

- É isso mesmo, Edward... - Theresa confirmou - Sabes que ao longo destes anos, houve momentos em que eu pensei sinceramente que, apesar de tudo, iríamos permanecer juntos. Ou que, pelo menos, não íamos acabar desta maneira... - confessou - Depois passo aí por casa para trazer as minhas coisas... - disse

- Tens sítio para ficar? - perguntou

- Ainda não, mas estou a tratar disso... - disse

- Se quiseres... A casa também é tua e foi onde a Laura cresceu, por isso, se quiseres, podem ficar aqui e eu procuro outro lugar para ficar... A casa é demasiado grande só para mim, de qualquer maneira - ofereceu, deixando Theresa de boca aberta.

- Vou falar com a Laura primeiro... mas obrigada! - agradeceu, ainda de boca aberta

- Se por acaso mudares de ideias ao divórcio, sabes onde me encontrar... - acrescentou

- Não vou mudar de ideias, sabes disso... - ela disse, convicta da sua decisão - Só há uma coisa que eu gostava de saber... que preciso de saber... E quero que sejas sincero! - pediu - Até porque já não adianta mentir mais... - acrescentou

- O que é que queres saber? - Edward perguntou, curioso

- O Joseph, ele... Ele morreu mesmo no acidente ou foi mais uma das tuas mentiras para me manteres contigo? - Assim que a pergunta foi feita, o silêncio do outro lado da linha instalou-se - Edward?! - Theresa chamou. Estava a achar aquele silêncio estranho 

- Essa parte é verdade... - ele disse finalmente - E se não acreditas em mim, posso pôr-te em contacto com os pais dele... Eles tiveram de ir reconhecer o corpo, por isso podem confirmar que estou a dizer a verdade. - Contou. Theresa reparou que o futuro ex-marido estava um pouco ofendido por ela não acreditar

- Envia-me os contactos deles... - apenas disse. Acreditando ou não em Edward, Theresa sabia que estava na hora de finalmente conversar com os pais daquele que fora o seu melhor amigo e confidente. Será que eles também pensavam que estava morta? Era provável que sim. Mas, fosse como fosse, estava na hora de pedir desculpa. Não faria qualquer diferença para eles, não lhes traria o filho de volta. Mas ela tinha de o fazer. - E, por favor, pensa bem no que queres fazer partir de agora... Ah, os teus pais já sabem de tudo o que se passou... - e, sem dizer mais nada, desligou a chamada. 

..............

Boa noite, como estão? De volta para mais um capítulo, que espero que gostem :) Obrigada a quem está aí desse lado a acompanhar! Fiquem bem e até ao próximo capítulo :)