Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

12
Dez20

You And I - Capítulo 75


JustAnOrdinaryGirl

Top 30 Emergency Vehicle Lighting GIFs | Find the best GIF on Gfycat

O caos continuava instalado no parque de estacionamento da escola. O diretor tinha sido chamado e, dadas as circusntâncias do acidente, era provável que a polícia não tardasse a chegar também. Leo e Nick continuavam a segurar William, que finalmente parar de tentar fugir dali. Ao mesmo tempo, Leo fazia um esforço enorme para se controlar e não descarregar toda a sua raiva no rapaz que tinha feito aquilo à sua irmã. Mas tinha de ser forte. Laura ia precisar dele intacto, não magoado e, provavelmente, detido por agressões se não se conseguisse controlar. Tal como previram, assim que a ambulância chegou, a polícia veio também. Uma vez que William já não tinha escapatória, Leo decidiu acompanhar a irmã na ambulância. A professora Isabella responsabilizou-se por acompanhar os alunos ao hospital, levando com ela Alycia, Alex e Nick. Tim ia ficar para prestar declarações e para garantir que o responsável daquele acidente não se tentava esquivar e inventar uma mentira. 

***** ***** ***** ***** ***** *****

Assim que chegaram ao hospital, Laura já tinha à sua espera a equipa médica. Felizmente, tudo indicava que o seu estado não era grave, no entanto teria de fazer vários exames para garantir que nada escapava ao médicos. Foi a professora Isabella quem tinha ficado encarregue de entrar em contacto com os pais de Laura e fê-lo assim que ela e os alunos foram encaminhados para a sala onde teriam de esperar por novidades. Por conselho de Leo, tinham ligado primeiro a Edward. Tinha medo que Theresa se sentisse mal ao receber a notícia pelo telefone. Edward e Theresa chegaram ao hospital cerca de meia hora depois, ainda Laura estava a ser examinada. 

- Leo! - Theresa chamou assim que avistou o filho e o restante grupo. Agarrou-se ao filho assim que chegou perto dele - Onde é que está a Laura? Como é que ela está? - perguntou, aflita

- O que é que se passou? - Edward perguntou, mantendo um tom sério e sem deixar transparecer grandes emoções. 

- A Laura está neste momento a ser observada... - Foi Isabella quem respondeu - Os médicos dizem que à partida não será nada de muito grave, mas querem ter a certeza. - a professora explicou, tendo agora toda a atenção dos pais da jovem - Eles vêm aqui informar-nos assim que tiverem novidades... - acrescentou

- Afinal o que é que aconteceu? - Edward perguntou - Como é que a minha filha é atropelada em plena escola? - quis saber, como se a culpa fosse de algum dos presentes

- Foi um acidente, Sr. Collins! - Isabella disse. Já sabia como Edward era, devido ao que Leo e Laura lhe tinham contado, e queria ser ela a lidar com a "fera" enquanto fosse possível - A Laura estava prestes a ir ter com o irmão quando o carro veio na direção dela. - contou - Mas o responsável está neste momento a ser ouvido pela polícia e todas as medidas vão ser tomadas - acrescentou

- Mas ela não viu o carro? Ela costuma ter sempre tanto cuidado...  - Theresa disse

- Ela não o deve ter visto... - Isabella disse - O aluno que estava a conduzir estava a tentar assustar o Leo e os amigos. A Laura atravessou nesse momento e ele não conseguiu controlar o carro a tempo...

- Então a culpa é tua! É vossa! - Edward disse, claramente irritado - A minha filha está no hospital por vossa causa! - acusou

- Não, não está! - Leo disse, defendendo-se a ele e aos amigos. Nick, Alycia e Alex, que até então se tinham mantido mais atrás, aproximaram-se de Leo - A Laura está no hospital por tua causa! - foi a vez dele acusar o pai, deixando-o preplexo

- Deves estar a brincar comigo... - Edward disse entre dentes - Se percebi bem, esse rapazinho estava a meter-se contigo e com... Tudo tem consequências e as tuas escolhas deixaram a minha filha neste estado! - voltou a acusar

- Quer mesmo falar de consequências? - Leo perguntou, cada vez mais irritado. O seu auto controlo estava preso por um fio

- Mas que raio de convera é essa? Já ontem a Laura me veio com uma conversa sobre consequências, agora és tu. Se têm alguma coisa para dizer, digam de uma vez, não tenho paciência para esses joguinhos! - avisou

- Acredita que este não é momento para falarmos deste assunto... - Leo apenas disse. Se continuasse com aquilo, ia acabar por dizer tudo o que tinha entalado 

- Não é momento, não é momento... - Edward barafustou - Não tens é nada para dizer, Leonard. E mesmo que tivesses, falta-te a coragem, não passas de um mariquinhas... - falou e virou costas. Mas Leo sentiu o desprezo na sua voz, o nojo que o pai sentia em relação a ele

- Estou a falar dos meus avós! - Leo gritou, fazendo Edward virar-se novamente para ele 

- O que é que está a dizer? O que é que os meus pais são para aqui chamados? - Edward perguntou, confuso

- Não estou a falar deles, estou a falar dos meus avós maternos... - ele explicou e com aquelas palavras fez a mãe, que estava a falar com Isabella sobre o acidente, vir para junto dele, colocando-se mesmo ao lado de Edward

- Cala-te imediatamente, seu... - em vez de continuar, Edward levantou a mão para bater em Leo. Mas Theresa reagiu a tempo e meteu-se entre os dois, quase sendo ela a levar o estalo no lugar do filho.  

- Edward! - ela gritou - Não vais fazer isto, peço-te! - ela quase implorou - Já chega de violência! Se tivesse acontecido alguma coisa grave à Laura, nunca te irias perdoar depois de como ficaram as coisas ontem... - Theresa disse num tom de voz mais baixo - A violência não nos resolve os problemas, só nos vai trazer ainda mais! - ela disse, farta de toda aquela situação familiar. 

- É bom que saias daqui, Leonard! Tu e essa cambada toda! A família precisa de paz! - Edward disse, ignorando os pedidos de Theresa. Talvez não batesse em Leo, mas não desistir assim tão facilmente

- Pena que só agora penses assim! Devias ter pensado nisso antes, na altura em que me expulsaste de casa, quando bateste na Laura, em mim... Quando decidiste que devíamos viver uma mentira ao longo destes anos todos! - Leo disse tudo o que tinha entalado. 

- Uma mentira?! - Theresa questionou, cada vez mais confusa - Do que é que ele está a falar? 

- Já te disse para calares essa boca, Leonard! Eu não respondo por mim e isto não vai acabar bem para ti! - Edward ameaçou, gritando, mas Leo não se importava. Já não.

- E vais fazer o quê? Fingir que eu morri e passar mais não sei quantos anos a obrigar toda a gente a viver numa mentira só para te safares do que quer que tenhas feito? - Leo perguntou, já a chorar. - É isso que vais fazer?! - Voltou a perguntar

- Leonard, querido... - Theresa ia abraçar o filho, mas Edward impediu que ela se aproximasse - Do que é que ele está a falar, Edward? Por favor, digam-me o que se passa! - Ela suplicou, de rastos - Digam-me... - disse quase num sussurro, as forças a faltarem-lhe. 

- Não há nada para dizer! Vamos esperar por novidades da Laura noutro sítio, anda! - E puxou Theresa para que ela fosse atrás de si.

- Estou a falar no facto de os avós afinal estarem vivos!

.........................

Boa noite! Como estão? Aqui está mais um capítulo (dramático) e eu espero que vocês gostem! Custou-me a escrever este capítulo, não sabia ao certo como seguir o diálogo, acho que a situação dos Collins até a mim me estava a deixar ansiosa. Mesmo assim espero que tenham gostado do resultado final! Fiquem bem e até ao próximo capítulo :)