Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

01
Set19

You And I - Capítulo 38


JustAnOrdinaryGirl

- Eu não vou dormir com a Alycia! - Tim barafustou assim que Clarissa lhe falou no seu plano de separar Alycia do namorado

- Não te estou a dizer para dormires com ela! - Clarissa disse. Aparentemente todos os pensamentos de Tim ia dar a uma coisa: sexo - Estou a dizer que vais aparecer numas fotos com ela. Até podem estar simplesmente demasiado próximos ou podes estar a tocar-lhe no rosto. No máximo tens de a beijar, Tim! - A cheerleader explicou - Aposto que consegues fazer isso. Estás sempre alapado a uma miúda nova, não há de ser assim tão complicado. - lembrou

- Pois, mas com essas miúdas eu tenho alguma relação. Nem que seja porque falo com elas de vez em quando. E elas gostam de mim! - Tim disse - A Alycia não me pode ver à frente, ela odeia-me! E eu a ela! Como é que achas que do nada vamos acabar tão próximos que as pessoas que nos virem vão pensar que andamos enrolados? - quis saber. Aquele plano não lhe agradava nada

- Tenho a certeza que vais conseguir arranjar uma forma de os separar, Tim! - Clarissa encorajou

- E o que é que tu vais fazer por mim? - o rapaz quis saber. Gostava muito de Clarissa, mas estava farto de alinhar em tudo e nunca receber nada em troca - Pelo que já percebi, não vais fazer nada para separar a Laura do Alex - disse

- Eu não preciso de fazer nada. Já te disse que o Sr. Collins não vai permitir que o namoro continue. Depois disso, tens o caminho livre - explicou - Só tens de ser mais inteligente desta vez. Tens de te aproximar dela quando ela mais precisa, quando estiver a sofrer por causa de uma separação. Serás o apoio dela e aposto que não vai demorar muito até perceber todos os teus encantos, Timothy! - acrescentou. Tim não insistiu mais. Sabia que não valia a pena insistir com Clarissa. Era sempre assim. Claro que, se fosse qualquer outra pessoa, podia mandar Clarissa dar uma volta e esquecer aquilo tudo. No entanto, sabia que no minuto em que tomasse essa decisão, a rapariga iria contar a Leo coisas que acabariam de vez com a amizade dos dois. Era o que dava guardar segredos com alguém como Clarissa. - Conto contigo? - Clarissa perguntou e sorriu ao ver Tim assentir. 

***** ***** ***** ***** *****

- Tens a certeza que não queres que eu vá contigo? - Alex perguntou. Ele e Laura estavam junto do carro de Alex, depois de Leo a ter deixado lá para ir para casa com Nick - Não tens de enfrentar isto sozinha! - ele disse

- Acredita que será melhor assim! - ela disse - Se o meu pai te vê, as coisas correm mal ainda antes da conversa começar - explicou - Eu adorava que fosse uma situação normal, que dar-lhes a notícia de que tenho um namorado que me ama e trata bem fosse uma felicidade para eles. E adorava ter-te lá, a dar-me a mão, e poder apresentar-te em condições. - disse, triste por não poder ser assim

- Então promete que me ligas depois, a contar tudo! - Alex pediu - Achas que eles te vão pôr de castigo? Oh, Laura, não quero nada que vivas tudo outra vez... - lembrou-se de como as coisas tinham sido da última vez

- Desta vez vai ser diferente! - garantiu - Eles não vão aceitar, isso eu sei. Mas desta vez eu sei como eles vão reagir e posso argumentar de outra maneira. E desta vez, vou ser eu a contar em vez de descobrirem assim de repente. - Depois de mais uns minutos a convencê-lo de que tudo se iria resolver, despediram-se com um beijo e Laura dirigiu-se à entrada da escola, onde o pai normalmente esperava por ela. Não trocaram muitas palavras durante o caminho, apenas as suficientes para Laura perceber que o dia do pai tinha corrido bem. 
Assim que chegou a casa, adiantou os estudos e trabalhos de casa e, antes de jantar tomou um banho. Isso ajudava-a a relaxar. Foi só depois de jantar, quando a família estava reunida na sala, que Laura anunciou que tinha algo para lhes contar.

- Tenho de vos dizer uma coisa! - Laura disse de repente, assim que terminou o noticiário

- Aconteceu alguma coisa com o teu irmão? - Theresa perguntou de imediato, preocupada. Há uma semana que não falava com o filho mais velho. 

- Não, o Leo está bem... dentro dos possíveis - disse - É algo que tem a ver comigo... - explicou. Não sabia bem como começar, mas estar com rodeios não iria ajudar em nada. Mais valia dizer de uma vez - Eu sei que a ideia não vos vai agradar nada, mas eu e o Alex estamos juntos novamente! - contou. E viu, de imediato, a expressão dos pais passar de calma e curiosa a furiosa. 

- Só podes estar a brincar connosco, Laura! - o pai disse, endireitando-se no sofá e encarando a filha, zangado

- Não estou! - disse. Ao contrário da outra vez, agora não iria ficar nervosa ou chorar. Iria sim ter uma conversa séria com os pais, dizer tudo o que tinha pensado dizer durante os últimos dias. - Eu e o Alex estamos mesmo juntos. E desta vez não nos vamos separar! - garantiu

- Vão sim! - o pai levantou o tom de voz - Esse namoro vai terminar, Laura! Sabes bem o que eu penso disso e não aceito que andes envolvida com um cigano que só te vai trazer problemas! - acrescentou sem nunca desviar o olhar da filha. 

- Tem calma, Edward! - Theresa pediu, sabendo bem como iria terminar o serão

- É por eu ter tido demasiada calma antes que as coisas chegaram a este ponto! - ele disse, nem sequer baixando o tom para falar com a mulher - Esse namoro vai terminar, Laura! - voltou a dizer

- E o que é que vais fazer? - Laura perguntou. Ia enfrentar o pai e lutar por Alex, como devia ter feito antes - Vais tirar-me o telemóvel e voltar a pôr-me de castigo? Ou vais trancar-me em casa? - perguntou, também ela a encarar o pai, sem vacilar - Ou vais antes mandar-me para um colégio interno? Sim, porque era isso que ias fazer se o Alex não me deixasse, não era? - perguntou. Agora que tinha começado, não ia parar - Não fiques assim tão admirado. O Alex contou-me a conversa que tiveste com ele. Ou melhor, as ameaças que lhe fizeste! - Laura confessou e percebeu que o pai não estava à espera daquilo - Ou preferes antes que seja a família do Alex a pagar por tudo? Vais ameaçar tirar-lhes tudo novamente? Tirar-lhes aquilo que lhes pertence, que levaram anos a conquistar e a construir? - perguntou - Sabias disto tudo, mãe? - Laura olhou para a mãe, que estava perplexa com o que acabava de ouvir, e percebeu que a progenitora não sabia daquelas ameaças. E isso deixou Laura mais aliviada - Espero que não te esqueças que ainda há uma semana o Leo saiu de casa. E sabes bem que ele não volta, esteja ou não com o Nick. - Laura voltou a olhar para o pai - Acho que não queres que aconteça o mesmo comigo... Porque acredita que se fizeres alguma coisa à família do Alex, ou se me enviares para um colégio interno, quem se vai embora sou eu! - Laura disse e os pais perceberam que falava a sério

- E ias para onde? Viver com esse rapaz? - Edward perguntou - Talvez o devas fazer e logo a seguir eu acuso-o de rapto! Não te esqueças que ele é maior de idade mas tu ainda não tens 18 anos! Resolvia-se o problema de uma vez!- disse-lhe e Laura abanou a cabeça, incrédula - Se fosse eu a ti, pensava bem na tua vida, filha! - avisou-a

- Eu não vou deixar o Alex! - Laura disse, convicta da sua decisão - E desta vez ele não se vai deixar levar por ameaças - acrescentou

- Não preciso de ameaças, Laura! Esse namoro vai terminar mais cedo do que tu pensas! - Edward disse - Ficas já a saber que ele está proibído de entrar nesta casa, e tu estás proibída de estar com ele fora da escola! - e estava dada a primeira parte do castigo - E assim que gastares o saldo do telemóvel, não volta a ser carregado! - acrescentou à lista - Vou continuar a ir levar-te à escola todos os dias, e a buscar também! E nem penses em dizer que queres estar com o teu irmão, só para poderes estar com esse tipo! - A lista de castigos ia crescendo, mas Laura não pensava em desistir - Fins-de-semana serão passados aqui, e sempre connosco. Quero ver quanto tempo esse namoro vai resistir! 

- Mais alguma coisa? - Laura perguntou

- Isso será o suficiente para fazer essa relação terminar! - Edward disse. Laura voltou a referir que o namoro ia continuar, apesar de tudo, e foi mandada para o quarto. O pai estava furioso e as coisas não iam acalmar tão depressa. Laura refugiou-se no quarto e telefonou a Alex, que a tentou animar e garantiu que iam arranjar uma solução.  Quando estava quase a dormir, já perto da uma da manhã, deu conta de baterem à porta do seu quarto. Era a mãe. 

- Como é que estás, filha? - perguntou. Fechou a porta com cuidado, para não fazer barulho e acordar Edward. 

- Como é que achas? - perguntou, apesar de não esperar por uma resposta. Olhou para a progenitora por uns segundos - Porque é que não disseste nada? Por exemplo a tua opinião sincera! -quis saber

- O pai só quer o teu bem, Laura! - Theresa disse, sempre a defender o marido e fugindo à verdadeira questão - Tu e o Alex são de mundos completamente diferentes! E sabes que isso só te vai trazer problemas!

- Mas é com os problemas que crescemos, mãe! - Laura disse, percebendo cada vez menos as atitudes da mãe. Ou a falta de atitudes, às vezes. - Além disso, vocês não conhecem o Alex. Ele é muito mais do que aquilo que vocês pintam! - Laura disse - Ele gosta de mim, faz-me feliz. Está sempre lá para me apoiar. A mim e ao mano também! - contou - Eu sabia que o pai não ia aceitar, mas ainda tive esperança que pudesses ficar do meu lado, mãe! És como ele? - quis saber 

- Laura... - não teve tempo de se desculpar, a filha continuou a falar

- Pensas da mesma forma que o pai? - insistiu - Achas mesmo que a única coisa que importa é o Alex ser cigano? E que o Leo está errado por se ter apaixonado pelo Nick e não por uma rapariga? Que o Nick pegou a homossexualidade ao mano? Acreditas mesmo nisso, mãe? - Todas aquelas perguntas quase inaudíveis enchiam o quarto de Laura - Diz-me, mãe! - Laura pediu. E foi então que reparou que algumas lágrimas tinham começado a cair pelo rosto de Theresa. - Mãe... - Laura sussurrou. Puxou a mais velha para um abraço, esquecendo as respostas que queria ouvir. Percebeu que a mãe estava agora a chorar a sério, sem conseguir parar. E percebeu também que realmente havia alguma coisa que a mãe não lhe queria contar. E que, fosse o que fosse, envolvia o pai. 

.......................

Boa tarde! Gostaram do capítulo? (que ficou um pouco mais longo que o costume!) O que acham que a Clarissa pode ter contra o Tim? Acho que já estavam à espera da reação do pai da Laura ao namoro dela, mas o que acharam desta conversa com a mãe? Que segredos serão estes? Deixem as vossas opiniões e teorias aqui nos comentários! E obrigada pelo vosso apoio! Fiquem bem e até ao próximo capítulo!