Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

10
Ago19

You And I - Capítulo 36


JustAnOrdinaryGirl

Imagem relacionada

 

Laura e Alex caminhavam pela praia há alguns minutos, em silêncio. Estavam a aproveitar aquele que, para eles, era um lugar especial. E sempre assim seria, estivessem juntos ou separados. Pararam a observar uns surfistas, lá ao fundo, equilibrados em cima das suas pranchas. Laura sentou-se na areia. 

- Praticar surf deve ser algo incrível! - disse, equanto observava as pranchas a passar entre as ondas

- É mesmo! - Alex disse. Sentou-se ao lado dela, mas deixando uma pequena distância entre os dois. 

- Fazes surf?! - Laura perguntou, surpreendida. Ali estava uma faceta de Alex que ainda não conhecia. Quando o viu assentir, uma ideia passou-lhe pela cabeça - Então vais ter de me ensinar! - sugeriu, a sorrir. 

- Posso pensar no teu caso! - Alex disse. Mas não tinha de pensar assim tanto. Aquela era uma ideia que lhe agradava. O olhar de ambos prendeu-se por uns momentos e dois sorrisos tímidos apareceram. Depois, Alex voltou a olhar para os surfistas, lá ao longe, e Laura seguiu-lhe o exemplo. Depois de mais uns minutos em silêncio, Laura ganhou coragem para fazer a pergunta para a qual necessitava de uma resposta. 

- Porque é que me deixaste? - perguntou. Alex permaneceu quieto e engoliu em seco. Quando decidira, momentos antes, levar Laura até ali, sabia que aquela pergunta ia surgir. Só não sabia em que momento. Ou o que responder. Por isso, respondeu da única maneira possível: com a verdade. 

- Porque te amo! - disse e Laura olhou-o, incrédula. 

- O quê?! - perguntou, sem desviar o olhar. Quando finalmente olhou para ela, Alex reparou que o rosto de Laura transmitia várias emoções. Felicidade por ouvir aquelas palavras e confusão por aquela ser a justificação para ele ter terminado a relação. - Isso não costuma ser motivo para duas pessoas ficarem juntas? - a confusão acabou por vencer aquela batalha de emoções. 

- Eu sei que sim, Laura! - Alex admitiu - Mas também é motivo para querer proteger a outra pessoa - explicou - Eu acabei contigo para te proteger... e à minha família - admitiu

- Para nos proteger do quê? - Laura perguntou. Mas antes de Alex ter tempo de responder, lembrou-se do dia em que ele lá apareceu em casa, à noite. - Não é só do quê, é de quem também... certo? - Perguntou e, tal como esperava, viu Alex assentir. - O que é que ele te disse? - Laura sabia perfeitamente quando tinham sido feitas as ameaças. Tinha sido na tarde antes de Alex terminar o namoro. Lembrava-se de como o pai a tinha deixado e a Leo no carro e de como voltou pouco tempo depois do lado do estacionamente da escola. 

- Se eu não me afastasse, no dia seguinte irias ser transferida para um colégio interno. Ele mostrou-me a tua matrícula lá, por isso eu percebi que ele estava a falar a sério. E se visses a forma como ele descreveu o sofrimento que isso iria causar à tua mãe... - Alex contou e Laura estava incrédula por descobrir quão baixo o pai podia chegar - E depois ameaçou a minha família - acrescentou - Tu sabes como os ciganos são vistos pela maioria da sociedade. Se visses a forma como o teu pai colocou as coisas. Ele ameaçou desalojar a minha família e as terras dos meus avós seriam transformadas em hotéis e lojas de luxo. E eu sei que a minha família é legal em todos os aspetos, mas... O nome do teu pai e a empresa dele têm poder... Eu sei que isso pode fazer de mim um cobarde, mas no momento só pensei neles e em ti... - ele disse e reparou como Laura tinha os olhos cheios de lágrimas ao descobrir a atitude do pai. 

- Não foste cobarde nenhum, Alex! - Laura interrompeu-o. Segurou-lhe o rosto com as duas mãos e fê-lo olhá-la nos olhos - Tu fizeste algo para me proteger a mim e à tua família... E isso não é cobardia, é coragem e amor! - disse. - E tenho pena que tenhas passado por isso sozinho... E lamento que o meu pai tenha descido tão baixo. A sério que às vezes penso que com ele não apanho mais desilusões, mas depois... - Laura começou a chorar e Alex não a impediu. Ela precisava daquilo, precisava de desabafar e ele queria dar-lhe esse espaço - Eu amo-te, Alex! - Laura disse de repente, olhando-o. E, quando o viu sorrir, aproximou-se dele e beijou-o. 

***** ***** ***** ***** *****

- Onde é que anda a minha irmã? - Leo perguntou a Nick, no intervalo antes da última aula - Não a vejo desde manhã

- Está com o Alex. - Nick disse - Eles estavam a precisar de tempo juntos, a precisar de resolver as coisas - acrescentou

- Isso é verdade, já ninguém os atura separados - Leo brincou - Agora a sério, espero mesmo que a minha irmã resolva as coisas com o Alex - disse. Nesse momento, Alycia juntou-se aos dois rapazes. 

- A tua irmã está bem? Não veio às aulas... - comentou quando se sentou ao lado deles. 

- É provável que esteja a resolver as coisas com o Alex - Leo contou, deixando Alycia muito feliz pelos dois amigos - Vou ali falar com o Tim, já volto - deixou Nick e Alycia na conversa e foi sentar-se com o amigo. O rapaz estava sozinho, sem Clarissa atrás dele, e isso deixava Leo bem mais à vontade. 

- Que é feito da tua irmã? - Tim perguntou assim que Leo se sentou ao seu lado

- Não me digas que estás preocupado com ela! - Leo provocou

- Sabes bem que eu gosto muito da Laurinha! - Tim disse

- Pois, é pena é ser da maneira errada. Sabes que a minha irmã não é dessas - Leo defendeu a irmã. Podia ser muito amigo de Tim, mas Laura estava acima disso tudo - E ela está com o Alex - Leo contou

- Eles voltaram a andar? - Tim não estava muito feliz com aquela hipótese - Mas o teu pai não tinha proibido esse namoro? - perguntou, confuso. Duvidava muito que o Sr. Collins tivesse mudado de ideias. 

- Não é o meu pai que namora com ele, pois não? - Leo perguntou, apesar de ser uma pergunta retórica

- Ui!! Aconteceu alguma coisa? - Tim, apesar de descontraído e de parecer não dar grande importância às coisas, ficou preocupado. Não era normal Leo falar assim. 

- Eu... eu saí de casa, Tim! - Leo decidiu contar. Tim era seu amigo e, de qualquer maneira, mais cedo ou mais tarde as pessoas iriam saber. Perante o olhar confuso do amigo, decidiu ser mais específico - Houve uns stresses. Eu... As coisas complicaram-se entre mim e o meu pai, vemos as coisas de maneira diferente. Foi melhor assim! - disse. Não estava preparado para contar a verdade e sabia que, o mais certo era que Tim não entendesse. 

- E onde é que estás agora? Porque se precisares, sabes que podes ficar lá em casa! - Tim ofereceu

- Eu sei que sim, e agradeço, mas eu já tenho sítio para ficar. Estou em casa do Nick - anunciou

- Do maricas?! - Tim não estava à espera daquilo - Isso explica essas roupas que trazes. Bem me parecia que isso não é teu! - comentou com aquele tom reprovador que Leo odiava nele. 

- Primeiro, estas roupas são o mesmo género das que eu uso todos os dias - Leo disse, zangado - E segundo, nós somos amigos há anos, os pais dele conhecem-me desde criança e... estou bem com ele! - explicou, não dando margens para mais comentários de Tim - E espero que pares com esses comentários estúpidos! - avisou

- Pronto, desculpa lá se te ofendi! Estás um pouco sensível, não? - perguntou, mas depressa se arrependeu, ao ver o olhar que Leo lhe lançou - Mas agora a sério, acho que o gajo está interessado em ti! Devias ter cuidado com isso! As pessoas falam e ainda pensam que vocês vivem juntos porque são... namoradinhos ou uma cena assim! - Tim avisou. Sendo como é, pensou que estava a dar um grande conselho, mas só irritou ainda mais Leo. 

- E eu ainda me perguntava porque é que a Laura te chamava de estúpido - Leo apenas disse, reprovando aquela atitude - Como é que consegues ser assim? Foi exatamente por causa de atitudes dessas que eu saí de casa. Espero que isso não me faça perder também um amigo! - Levantou-se e foi novamente juntar-se a Nick e Alycia que, por estarem tão perto deles, tinham percebido que algo tinha acontecido entre os dois. Leo não fez grande alarido sobre o assunto. Tinha esperança que Tim pensasse no que acabava de lhe dizer e mudasse de atitude. Bem dizem que a esperança é a a última a morrer. Quando a campainha tocou, todos se dirigiram às suas salas. 

***** ***** ***** ***** *****

À porta da sala, Alycia encontrou Clarissa, com aquele sorrisinho de quem estava a preparar alguma. Alycia conhecia bem as raparigas como Clarissa, cheias de mania que são donas do mundo. 

- Posso passar? - Alycia perguntou, tentando ser simpática

- Claro que sim, Aly! - Clarissa disse, deviando-se - Ah, é verdade, hoje não há treino da claque - disse, virando-se para a Alycia, já dentro da sala - Encontrámos a professora no bar e ela avisou-nos - acrescentou e Alycia, vendo as outras raparigas confirmar, agradeceu o aviso, sentando-se no seu lugar. O professor de literatura entrou e a conversa ficou por ali. 

***** ***** ***** ***** *****

- Ainda bem que conseguimos resolver este assunto! - Laura disse. Ela e Alex estavam novamente a caminhar pela praia, mas agora de mãos dadas e muito mais felizes. Depois daquele beijo que haviam trocado, os dois estavam a tentar recomeçar a relação - É mesmo bom estar assim contigo. Poder dar-te a mão, beijar-te, passear contigo! - O sorriso no rosto dela não enganava ninguém, estava feliz como há muito não se sentia. 

- Eu também adoro estar assim contigo, Laura! - Alex disse. Mas, apesar de estar feliz, não conseguia afastar por completo a parte mais complicada daquela história: o pai dela. - Mas e o teu pai? - acabou por perguntar - Tenho medo que ele cumpra o que disse. - Explicou - Não quero que acabes num colégio interno, longe da tua famíla. Olha o que ele fez ao teu irmão!

- Se ele fizer isso, arrisca-se a que eu fuja de lá e nunca mais me põe a vista em cima! - Laura disse e Alex percebeu que ela falava a sério - Estou farta de viver naquela casa, farta das atitudes dele. E sei que isso pode parecer uma solução infantil, mas talvez seja a única. Vou sair de lá de qualquer maneira, assim que entrar na faculdade, seja aqui perto ou numa mais distante - disse, certa de que era isso que ia acontecer - Podemos esconder que estamos juntos durante um tempo, por causa da tua família, mas não por mim. Estou farta de viver assim, sempre em conflito com ele, sempre a levar um sermão por qualquer coisa que eu faça. - disse - Depois do estalo que vi o meu irmão levar ontem, eu percebi que o meu pai não vai pôr a nossa felicidade acima das ideias dele. É triste, mas é assim. - O sorriso que Laura tinha minutos antes já lá não estava. Tinha sido substituído pela tristeza. Mesmo assim, Alex continuava a conseguir ver a rapariga corajosa, lutadora e justa que ela sempre fora. 

- Não vamos esconder namoro nenhum! - Alex decidiu, determinado - Se estás disposta a arriscar e a enfrentar o teu pai, então eu também estou! - disse, fazendo com que o sorriso de Laura começasse a voltar - A minha mãe não é cigana, mas está com um. Eu sei que eles passaram por muito, mas continuam juntos depois destes anos todos. E vou fazer com que aconteça o mesmo connosco. E quanto à ameaça do teu pai... deve haver alguma coisa que possamos fazer - disse - E podemos contar com o Leo, com a Aly e com o Nick - lembrou-se. Contar com o apoio dos amigos era o melhor que podiam pedir. 

- E com a Emma e os meus avós, sempre! - Laura acrescentou à lista - Obrigada por não desistires!

- Já o fiz uma vez, Laura, e foi horrível! - lembrou os momentos que estiveram separados - Amo-te! E neste momento é a única coisa que me importa! - Ao ouvir aquelas palavras, Laura voltou a beijá-lo. Seria difícil, mas estavam juntos e tinham os amigos juntos. E isso era meio caminho andado. 

...................................

Boa tarde! Como estão? Aqui está mais um capítulo de You And I! O que acharam? Espero que tenham gostado e que estejam a gostar da história no geral? Fiquem bem e até ao próximo capítulo!!