Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

30
Jun19

You And I - Capítulo 33


JustAnOrdinaryGirl

Imagem relacionada

Leo já tinha acabado de jantar quando recebeu, finalmente, uma mensagem de Nick. Era um simples "Hey" seguido de um smile, mas era ótimo ter finalmente notícias. Leo endireitou-se no sofá e começou a escrever. 

De: Leo
Para: Nick
Mensagem: Hey! Estava a ficar preocupado, a conversa foi longa. Não me digas que o Henry te deu a volta 😜

De: Nick
Para: Leo
Mensagem: O Henry vai casar, Leo! E aposto que tu já sabias porque o Henry disse-me que a Laura sabia. Mas gosto que tenhas ficado preocupado comigo 😊

De: Leo
Para: Nick
Mensagem: E estás bem com isso? Eu sei que gostavas muito dele...

De: Nick
Para: Leo
Mensagem: Estou feliz por ele. E sabes bem que eu já segui em frente. Estou interessado noutra pessoa. És bem capaz de conhecer 😅

De: Leo
Para: Nick
Mensagem: Acho que estou a ver quem é 😅 Mas estiveste com o Henry até agora? 

De: Nick
Para: Leo
Mensagem: Não. Só não te disse nada porque apareceu a minha tia cá em casa e foi difícil que ela me largasse. 
Deixei-te preocupado e com ciúmes! Isso só pode ser bom sinal! 

De: Leo
Para: Nick
Mensagem: 🤔
De manhã o Tim apareceu e não te agradeci... Aquela conversa, e a tua atitude, foi muito importante, a sério! É bom saber que posso contar contigo.

De: Nick
Para: Leo
Mensagem: O Tim tem o dom de aparecer nos momentos menos oportunos e sempre com comentários fantásticos! 😑

De: Leo
Para: Nick
Mensagem: Tirando os comentários, obviamente, ainda bem que ele apareceu naquele momento...

De: Nick
Para: 
Leo
Mensagem:
 Por quê? Achas que iria acontecer alguma coisa se ele não aparecesse? Eu disse-te que te ia dar o teu espaço e vou fazê-lo, Leo. 

De: Leo
Para: Nick
Mensagem: Eu sei que sim, Nick. Mas mesmo assim, passou-me pela cabeça que mais uns segundos e teríamos acabado como no domingo, em casa do meu avô. 

- Leo, querido, podes ir deitar este lixo lá fora, por favor? - Theresa chamou, interrompendo a troca de mensagens. Como Nick ainda não tinha visto ou respondido, Leo pousou o telemóvel e pegou no saco de lixo que a mãe segurava. Quando deixou a sala, o telemóvel de Leo deu sinal de mensagem. Aliás, de várias mensagens seguidas. Edward, que estava a tentar concentrar-se nuns documentos, e farto de ouvir aquele barulho durante todo o serão, levantou-se para se mudar para o escritório. Contudo, quando se levantou e olhou para o aparelho, que tinha recebido mais uma mensagem, pareceu-lhe ver algo. No ecrã aparecia o nome "Nick" seguido de um boneco que lhe pareceu ter uns olhos em forma de coração. Isso foi o bastante para pegar no telemóvel do filho. Carregou na mensagem que aparecia no ecrã e a conversa trocada entre o filho e Nick apareceu no ecrã. Edward começou a ler e teve de se sentar no sofá, começando a ficar enervado. Principalmente quando chegou às últimas quatro mensagens de Nick, aquelas que Leo não tinha visto. 

De: Nick
Para: Leo
Mensagem: Que acabássemos portanto aos beijos! 
O Tim acabou por fazer o papel daquela amiga da tua avó que andava perdida em busca da casa de banho 😅
Mas admito que não seria uma má forma de acabarmos a conversa. 
😍

Edward apertou o telemóvel na mão, o pulso bem cerrado. Levantou-se assim que deu conta do filho voltar a entrar em casa. Leo chegou à sala e viu o pai, de pé, a raiva presente no seu rosto, a encará-lo. 

- És capaz de me explicar o que é isto, Leonard? - perguntou, mostrando ao filho o telemóvel que tinha na mão. Apesar de ainda ter um tom de voz mais baixo, o tom com que falava deixava transparecer a fúria. 

- O meu telemóvel...? - Leo disse, sem perceber nada do que estava a acontecer. Nem sequer lhe tinha passado pela cabeça a hipótese de o pai ter lido as mensagens. Os pais nunca lhe tinham mexido no telemóvel. 

- Não te armes em engraçado comigo, Leonard! - O tom de voz começou a subir a cada palavra - Que mensagens são estas? - Leo estremeceu assim que ouviu a pergunta. Theresa apareceu na sala, também ela sem perceber nada. 

- O que é que estás a fazer com isso? Não tinhas o direito de ler as minhas mensagens... - Leo tentou defender-se

- Eu ia a passar quando apareceu no ecrã um nome seguido de uns corações ou o que seja - Edward explicou - Portanto, a a não ser que "Nick" seja uma abreviatura para alguma Nicole, quero que me expliques que conversa é esta, Leonard! - Edward voltou a pedir - Leonard! - gritou quando o filho se manteve imóvel e calado. O rapaz estremeceu e o mesmo aconteceu com Theresa. - Estou à espera! - insistiu

- Não é nenhuma Nicole... - Leo disse a medo. Sabia perfeitamente que o pai sabia que não havia uma "Nicole". Bastava ler a conversa para perceber o que era. 

- É claro que não há nenhuma Nicole! - O pai gritou - O que há é que o meu filho não passa de um maricas! Tenho um filho maricas! - Edward continuava a gritar - Como é que foste capaz de fazer uma coisas destas, Leonard? Como?

- Não é o que estás a pensar, pai - Leo disse, quase sem se ouvir - Eu posso explicar... - disse

- Explicar o quê? Que enquanto eu estava a celebrar o aniversário do teu avô, com a casa cheia de pessoas, tu estavas enfiado num quarto com um homem? - Edward falava como se o filho tivesse cometido o mais grave dos crimes - É isso que queres explicar? Porque eu apenas vejo uma justificação para isso! Não passas de um paneleiro! - gritou.  Laura, que estava no quarto a estudar, com os fones, começou a ouvir as vozes na sala, cada vez mais altas.  Saiu do quarto com ideia de ver o que se passava e, ao ver os três na sala, ficou parada ao cimo das escadas, percebendo de imediato que o pai sabia de alguma coisa de Leo e Nick. Pensou em meter-se, mas sabia como era e tinha medo de dizer alguma coisa que iritasse mais o pai ou pior, que prejudicasse mais o irmão. Por isso, manteve-se tal como a mãe. 

- Eu não sei se sou... - Leo queria dizer qualquer coisa, explicar tudo, mas faltavam-lhe as palavras. O pai olhava-o com repulsa e isso magoou-o ainda mais do que as palavras. - Eu e o Nick... Nós... - Leo continuava sem encontrar as palavras certas. Falar com qualquer outra pessoa seria muito mais fácil do que falar com o próprio pai - Foi apenas um beijo... - acabou por dizer. E, assim que terminou aquela frase, sentiu a mão do pai bater na sua cara com toda a força. A sua cara andou ardia, as lágrimas corriam pelo seu rosto. Theresa levou as mãos à cara, começando também ela a chorar. E do cimo das escadas ouviu-se um grito, um "NÃO!". Laura desceu as escadas quase duas a duas e foi colocar-se ao lado do irmão. Leo olhou para o pai mas não disse nada. 

- Desaparece daqui! - Edward disse ao filho, agora sem estar aos gritos. Leo não lhe respondeu. Limitou-se a olhá-lo e a virar-se na direção das escadas que levavam ao andar de cima - Não te estou a mandar para o quarto, Leo! - Edward disse, fazendo a família olhar na sua direção, confusos - Estou a dizer-te para desapareceres desta casa! - disse, sem demonstrar qualquer emoção além de repulsa, raiva - És uma vergonha! Sai daqui! - ordenou. Leo continuava a chorar e abanou a cabeça, incrédulo com a atitude do pai. 

- Não podes fazer isso! - Laura falou, agarrando o braço do irmão - Ele é teu filho!

- Cala-te! - Edward gritou - A culpa do teu irmão se ter transformado nisto é tua. Tu é que trouxeste aquele rapaz cá para casa! - acusou - Não quero um maricas aqui em casa, já chega!

- Deixa estar, Laura! - Leo conseguiu finalmente falar - Eu também não quero continuar aqui - disse, limpando as lágrimas - É impressionante como consegues ser tão retrógada, tão preconceituoso. Como nem sequer consegues tentar perceber aquilo que vai contra as tuas ideias. - disse, olhando nos olhos do pai - Não imaginas como é horrível ter um pai com quem não podemos falar dos nossos medos, das nossas dúvidas. Com quem não podemos partilhar nada porque corremos o risco de ser expulsos de casa. - acrescentou - Preferes ver os teus filhos infelizes. Lamento informar-te que isso não é ser pai! - concluiu - E mais uma coisa, espero que o Alex perceba o erro que cometeu e que lute pela Laura! Vais acabar sozinho, se continuas assim. - Pegou no telemóvel e olhou para a mãe, ali parada, a chorar - Esperava que tivesses dito alguma coisa! Bastava uma palavra! - disse-lhe

- Leo... - Laura chamou, entre lágrimas e soluços. O irmão puxou-a e abraçou-a com toda a força. 

- Eu vou ficar bem! - garantiu, sussurrando ao seu ouvido. Evitou chorar para não a preocupar ainda mais. - Vemo-nos amanhã na escola - prometeu. Largou a irmã e saiu de casa sem olhar para trás. Só quando já estava na rua, a andar, é que se permitiu voltar a chorar. 

........................

Boa tarde! Como estão? Aqui está mais um capítulo de "You And I", espero que tenham gostado! As coisas não correram lá muito bem e complicaram-se ainda mais! Mas não fica por aqui. Admito que a escrever esta última parte acabei com lágrimas nos olhos! Mas digam-me o que acharam. Gostaram? Fiz aquela parte das mensagens um pouco diferente de como escrevo o resto, acham que resulta bem?

Fiquem bem e até ao próximo capítulo :)