Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

18
Jun16

"Taking Chances" - Capítulo 14


JustAnOrdinaryGirl

O almoço decorreu calmamente, com as conversas a andar em torno dos assuntos que se ouviam no telejornal daquele dia. Depois de toda a cozinha estar arrumada e de Claire e Henry terem terminado o seu café, a mãe da rapariga saiu para trabalhar. Não se podia dar ao luxo de faltar à tarde. Mas ficava tranquila por saber que Brittany iria estar acompanhada de Henry durante algum tempo. Depois de a mais velha sair, Brittany e Henry continuaram sentados no sofá da sala, em silêncio, até Henry desligar a televisão e encarar a namorada.

- Tens a certeza que está tudo bem, Britt? – Perguntou, fazendo com que a rapariga assentisse – Pareces preocupada. Aconteceu alguma coisa ontem? – Apesar de querer realmente saber o que se passara, esperava que o nome Jackson não viesse à baila.

- Estou apenas a pensar no meu pai – admitiu – Acho que alguma coisa não bate certo em toda esta história, Henry. Falta alguma coisa! – Acrescentou

- E porque é que pensas isso? – Henry sabia a história que Claire partilhara com a filha e sempre tudo lhe pareceu fazer sentido

- Ontem decidi falar com o Gustav sobre o meu pai, queria saber mais coisas sobre ele – começou – Sabias que tenho mais um irmão?

- A sério? Mas é mais velho ou mais novo? – O rapaz ficou surpreendido com aquela revelação

- É mais novo que eu, nasceu um tempo depois de o meu pai ter voltado para Los Angeles – informou – Além disso, o Gustav já falou com a mãe dele sobre mim. E a história dela não me parece tão “simples” como aquela que a minha mãe sempre me contou – disse, apresentando uma expressão triste – E se a minha mãe me escondeu alguma coisa, Henry? E se o meu pai é diferente do que aquilo que ela sempre pintou? – Algumas lágrimas ameaçaram aparecer mas a rapariga impediu que isso acontecesse

- Sempre confiaste na tua mãe, Britt – Henry começou, aproximando-se um pouco mais da namorada – E se quem está a esconder alguma coisa é a mãe do Gustav? Não a conheces de lado nenhum

- Eu sei. Mas sabes o que mais sei? – Brittany olhou para Henry que fez uma expressão confusa – Sei que tenho um irmão mais velho e que nunca soube da existência dele, que durante toda a minha vida escondi o sonho de conhecer o meu pai, que sempre confiei na minha mãe mesmo quando ela me dizia que ele não valia nada, que as dúvidas começaram a crescer dentro da minha cabeça e que há uma parte de mim que sabe que há mais alguma coisa para descobrir – a rapariga desabafou e começou a sentir um alívio por estar a contar tudo aquilo ao namorado – O que é que fazias no meu lugar? Vivias com as tuas dúvidas mesmo que elas estivessem a dar cabo de ti? Eu não consigo fazer isso, Henry, não durante mais tempo. Até a Anna, que não pertence a esta história, acha que faltam peças – acrescentou, ao mesmo tempo que continuava a tentar impedir as lágrimas

- Pois, mas diga-se de passagem que a Anna não é a pessoa mais… - Henry foi interrompido

- Não é a pessoa mais quê, Henry? Eu sei que não gostas dela, que tu e a minha mãe a acham demasiado extrovertida e sem vergonha e que pode ser uma má influência, mas ela é a minha melhor amiga e acredita que raramente se engana nestas teorias dela – Brittany defendeu a melhor amiga

- Até pode ser, Britt, mas talvez devas confiar na tua mãe e não na amiga que te leva para a noite ou na mulher por quem o teu pai trocou a tua mãe – Henry disse

- Eu confio na minha mãe, mas as minhas dúvidas precisam de ser esclarecidas – a rapariga disse – Achas que esta conversa pode ficar só entre nós? Pelo menos até eu pensar em como vou esclarecer tudo isto. Por favor – Pediu e Henry assentiu, sabendo que nada do que pudesse dizer iria fazer com que Brittany esquecesse todo aquele assunto – Obrigada – chegou-se para junto de Henry, que a abraçou

- E como é que foi a noite, apesar de tudo? – Henry quis saber, em parte para que Brittany pudesse descontrair

- Foi boa. Fomos até um bar e estivemos lá um bocado, a conversar, a dançar – Brittany sorriu ao lembrar os momentos divertidos e relaxantes que passara na noite anterior – Oh, e tenho de ligar à Anna para saber como correram as coisas. – Lembrou-se que ainda não tinha falado nem com Anna nem com Gustav e queria saber algumas novidades.

- Não me digas que arranjou algum “namorado” novo durante a vossa saída – Henry perguntou e Brittany acenou e sorriu com a ideia – Espera… a Anna e o Jackson envolveram-se, não foi? Estão mesmo bem um para o outro – disse, com alguma satisfação na voz

- Henry, não sejas assim! - Brittany chamou à atenção com um pequeno revirar de olhos – Na verdade, não foi com o Jack que ela esteve, foi com o Gustav! – Sorriu abertamente

- Com o Gustav? Quem diria que o teu irmão… - interrompeu-se a si próprio – Mas se alguma coisa se passou entre a Anna e o teu irmão isso quer dizer que houve algum momento em que tu e o Jackson ficaram só os dois? – O bom ambiente que se tinha criado desapareceu em segundos

- Sim, eu e o Jackson passámos algum tempo só os dois, mas não aconteceu nada, obviamente – Brittany disse, segura – Sabes que eu e o Jackson somos amigos, damo-nos bem, mas eu estou contigo e seria incapaz de te magoar. Eu gosto de ti, Henry. – Acrescentou, beijando os lábios do namorado

- Se a Anna e o Gustav estavam juntos podias ter vindo para casa – Henry disse

- Podia, mas eu já disse o motivo de ter ficado. Se viesse para casa, além de vos acordar, teria tido a conversa com a minha mãe ontem e eu precisava de pensar antes de falar com ela para evitar dizer alguma coisa que a magoasse – a rapariga justificou-se

- Pronto, ok – Henry acabou por concordar – E o que é que aconteceu mesmo entre o teu irmão e a Anna? Eles parecem ser o oposto um do outro, o teu irmão parece muito mais calmo

- Sim, realmente eles são o oposto. Eu pensei que a Anna se fosse interessar mais pelo Jackson – afirmou – Mas não sei ao certo o que se passou, ainda não falei com eles. – disse, sem dar grande importância ao que realmente acabara de dizer

- Não falaste com nenhum deles? – Henry perguntou e Brittany encarou-o, ainda sem perceber – Quer dizer, passaste a noite fora, por isso, ou dormiste com a Anna ou com o Gustav não comentaram o que aconteceu? – Depois desta pergunta, Brittany engoliu em seco, percebendo finalmente

- Eu não dormi com nenhum dos dois, Henry – Brittany disse a medo – Eu saí antes deles da festa, mais o Jackson e fomos andando para o motel para lhes dar algum tempo sozinhos – Brittany começou, falando calmamente para que as coisas fossem resolvidas da melhor maneira

- Oh, ok, alugaste um quarto e passaste a noite sozinha para que eles… Ok, já percebi - Henry disse e um sorriso de compreensão apareceu-lhe no rosto.

- Não, Henry – Brittany olhou-o e viu a sua expressão confusa – Eu dormi no quarto do Jackson – admitiu, vendo a expressão de confusão do namorado mudar para uma expressão de fúria – Mas não dormimos juntos, ele dormiu no chão – esclareceu

- Isso não muda o facto de teres dormido no quarto dele, Brittany – Henry disse, zangado – Passa-se alguma coisa entre vocês? Eu já percebi que isso é o que ele quer mas e tu? – Perguntou, o medo da resposta a fazer-se notar na sua voz

- Eu estou contigo porque gosto de ti, Henry! – Começou, aproximando-se do namorado e pegando-lhe nas mãos – Eu e o Jackson somos apenas amigos. É verdade que desde o início que nos damos bem, mas nada além de amizade. E o Jackson sabe disso. – Acrescentou, convicta – Acredita em mim, Henry!

- É difícil acreditar que não pode vir a acontecer nada, Brittany – Henry disse, afastando as suas mãos das da rapariga – Muito menos quando tudo o que vejo são sorrisinhos entre os dois – levantou-se – Para não falar do facto de teres a roupa dele vestida – perante o olhar espantado de Brittany, acrescentou – Sim, depois de me teres dito que não vês o teu irmão desde ontem, eu percebi que essa camisola só pode ser do teu amiguinho – disse, com algum desprezo na voz

- Ok, a camisola é do Jackson. Disse que era do Gustav para evitar problemas, mas devia logo ter dito a verdade, desculpa – Brittany desculpou-se – Mas peço-te que acredites em mim, Henry. Eu não te traí nem nunca o faria e tu sabes disso.

- Seria mais fácil acreditar nisso se te afastasse dele. É o melhor que fazes! - Henry disse, amuado

- Não posso fazer isso, Henry. Ele é meu amigo e amigo do Gustav – Brittany começou, não acreditando que o namorado lhe estava a pedir aquilo – Peço-te que percebas que eu posso ter amigos. Eu preciso de ter amigos! Durante anos, foste tu, a minha mãe e a Anna. Fico sempre em casa, nem a festas de anos vou. Sempre quiseram proteger-me e que eu tivesse uma vida melhor que a minha mãe. E eu agradeço, a sério que sim. Mas eu tenho 17 anos e preciso de ter uma vida, percebes? Preciso de amigos e de estar com eles, de conhecer outros lugares, de sair de casa de vez em quando. Tu sempre tiveste isso tudo, mas eu não. E eu também preciso de coisas assim. A minha mãe sempre foi a minha única família. A tua família sempre me ajudou a esquecer a falta que faz ter um pai, tios e avós. Mas agora que tenho oportunidade de conhecer a minha verdadeira família, também preciso disso. – Brittany acabou de falar e algumas lágrimas começaram a aparecer. Parecia que há imenso tempo que tinha aquelas palavras entaladas e toda aquela conversa sobre Jackson fê-la dizer tudo – Desculpa se acabei de ser estúpida ou parva contigo, eu não te queria magoar – acrescentou ainda a chorar

- Brittany, eu percebo que tu precises de ter a tua vida, de a viver – Henry começou, reaproximando-se da namorada – Mas também tens de perceber que não te estamos a impedir de viver, estamos apenas a proteger-te – limpou-lhe as lágrimas que lhe molhavam as faces – E em relação ao Jackson, não acredito que ele apenas te veja como amiga. A maneira como ele olha para ti, a maneira como vocês se dão – Henry voltou ao assunto de Jackson – Tudo o resto até percebo, mas o Jackson…

- O Jackson é meu amigo e não vou deixar de estar com ele. Tu não deixas de estar com as tuas colegas de trabalho quando eu te digo que não gosto delas – Brittany disse

- É totalmente diferente, são minhas colegas de trabalho e não olham para mim da mesma maneira que o Jackson olha para ti – apenas disse

- Ai não? – Perguntou – E aquela que no ano passado estava sempre a ir a tua casa com a desculpa do trabalho? Nem mesmo quando eu me senti insegura tu deixaste de te dar com ela, Henry. Não me podes pedir que eu o faça em relação ao Jack – Brittany disse, ao mesmo tempo que secava as lágrimas

- Na altura tu estavas com ciúmes parvos, aliás sabes bem que fizeste cenas de ciúmes, parecias uma daquelas miúdas histéricas em relação ao namorado e… - Henry foi interrompido

- E sabes por quê? Porque eu era uma miúda, ainda sou! – Brittany disse mais alto que o normal

- Acho que é melhor acabarmos esta conversa por aqui, não quero dizer nada que me possa arrepender – Henry tentou encerrar o assunto

- Também acho que é melhor – concordou – Eu quero que saibas que podes confiar em mim. Tal como eu sempre confiei em ti

- Eu confio em ti mas acho que deves mesmo afastar-te do Jackson – voltou ao mesmo pedido – E até mesmo da Anna. Eu sei que ela o teu irmão estiveram juntos mas de certeza que ele é apenas mais uma curte para ela e além disso ela apenas te anda a influenciar pela negativa – não parou de falar nem perante a expressão atónita da rapariga – Ela faz-te ter dúvidas em relação à tua mãe, leva-te para saídas à noite – desta vez foi interrompido por Brittany

- Desculpa mas eu não me vou afastar dos meus amigos, muito menos da Anna – Brittany contrapôs – Vocês sempre me impediram de fazer várias coisas, de ter a vida de uma adolescente normal, mas desta vez não vou ceder, Henry. Desculpa mas não! Não em relação a isto, à minha melhor amiga!

- Tudo bem – Henry concordou – Mas, sendo assim, vou dar-te algum espaço para pensares na tua vida, Britt, no que é melhor para ti. – Pegou no seu casaco – Ah, e tenta não magoar a tua mãe. Ela faz tudo por ti. Sempre fez! – E dito isto, saiu, deixando Brittany incrédula

...........

Boa tarde! Aqui fica o capítulo da semana, desta vez publicado no dia certo. O capítulo está maior que o habitual mas comecei a escrever e a inspiração a funcionar e não consegui diminuir nada nem dividir porque esta conversa precisava de acontecer. O que acharam? O Henry teve ciúmes ou será mais que isso? São Team Brittany ou Team Henry? Ou Team Jackson? Acham que a Brittany deveria ceder e afastar-se até mesmo da Anna? Deixem as vossas opiniões :) Fiquem bem e até ao próximo capítulo.