Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

28
Mai16

"Taking Chances" - Capítulo 11


JustAnOrdinaryGirl

Aproveitando o tempo agradável que se fazia sentir naquele dia, os três dirigiram-se até a um parque relvado onde se sentaram para que Gustav começasse então a contar algumas coisas a Brittany. Ali estavam mais sossegados e ninguém estaria a ouvir do que falavam, como acontecia no café. Jackson tinha ido com eles, por insistência de Gustav e Brittany, uma vez que o rapaz já era praticamente família de Gustav.

- Brittany, eu não sei muito sobre a história do pai com a tua mãe – começou, passados uns segundos de se terem sentado – Como sabes, o pai não faz ideia que eu descobri que existes por isso não sei pormenores, mas…

- Mas? – Brittany insistiu, ao ver que o irmão estava um pouco reticente – Podes contar-me, Gustav. Eu preciso de saber o que falta nesta história toda.

- Antes de vir para cá, eu falei com a minha mãe – Gustav afirmou e Brittany ficou surpreendida – Eu já devia ter-te contado, eu sei, mas não quis ser eu a tocar neste assunto, não queria que achasses que te estava a pressionar – confessou

- E o que é que a tua mãe te disse? Ela sabe de alguma coisa? – Brittany estava cada vez com mais vontade de conhecer todos os pormenores, alguns dos quais tinha a certeza de que não conhecia

- Ela sabe da tua existência mas… A minha mãe disse que o pai não te abandonou como tu pensas que abandonou – disse

- Como assim, não me abandonou? – Brittany baixou o tom de voz assim que percebeu que o tinha levantado – Ele deixou a minha mãe com uma filha de três anos e nunca mais se dignou a aparecer. Desculpa, mas isso soa como abandono – disse, furiosa

- Brittany, eu apenas estou a contar-te com a minha mãe me disse, o que o pai lhe contou – Gustav justificou, não querendo tomar partidos – A minha mãe disse-me que o pai veio numa viagem de negócios a Nova Iorque e que tinha conhecido uma mulher com quem se envolveu – Gustav ia parando para que a irmã absorvesse tudo o que lhe contava – Quando ele veio para cá o casamento deles não andava grande coisa e a traição acabou por ser a gota de água – Brittany olhava-o, incrédula – O pai acabou por ficar por Nova Iorque, mas ligava várias vezes, para saber de nós, e ia visitar-nos pelo menos uma vez por mês – Brittany limpou os olhos quando se apercebeu que algumas lágrimas tinham surgido - O pai ainda gostava da minha mãe e ela dele e acabaram por conseguir ter uma relação amigável, em parte por mim.

- E sabes a razão de ele ter voltado para Los Angeles, de ter voltado para a tua mãe e ter deixado a minha? – Brittany perguntou, com algum medo de saber a resposta que o irmão lhe daria e consciente de que essa resposta poderia mudar as coisas.

- Quatro anos depois de ele ter saído de casa, ele voltou – Gustav começou por dizer. E o tempo batia certo. Um ano que correspondia aos meses de namoro e gravidez de Claire e os três anos que tinha estado com elas em Nova Iorque depois de Brittany nascer – O pai apareceu lá em casa e explicou tudo o que tinha acontecido entre ele e a tua mãe, inclusive falou-lhe de ti. O pai andou um ano a tentar reconquistar a minha mãe e vários meses a dormir no quarto de hóspedes. Por fim, lá acabou por conseguir reconquistá-la. Entretanto o Gabe nasceu e voltámos a ser uma família normal. – Concluiu e focou o seu olhar em Brittany, que estava um pouco atónita

- E qual foi o motivo de o pai ter voltado para casa e ter-nos deixado, sem praticamente nada? A tua mãe não te disse? – Brittany precisava de saber a resposta a esta pergunta. Sentia que era o que faltava para, finalmente, ficar mais perto de toda a verdade

- Não me disse o motivo! Sugeriu que perguntasses à tua mãe e talvez ela te conte a verdade – Gustav disse, transmitindo o que a mãe dele lhe dissera

 - A verdade é que o pai decidiu que afinal não gostava da minha mãe e decidiu ir-se embora, voltar para a sua vidinha perfeita e deixar uma mulher desamparada, com uma criança de três anos nos braços. Essa é a verdade! – Brittany gritou estas palavras e levantou-se, afastando-se dos rapazes. Gustav levantou-se e correu atrás dela, alcançando-a rapidamente

 - Brittany… - disse enquanto a agarrava suavemente no braço e fazia com que se virasse na sua direção – Eu sei que tudo isto deve ser doloroso para ti, mas… A minha mãe deu a entender que deves perguntar à tua mãe o que realmente se passou porque talvez haja alguma coisa que está a faltar na versão que tu conheces – ao dizer isto Gustav voltou a ter a atenção de Brittany – Lamento que tenhas de passar por tudo isto mas eu estou aqui e vou apoiar-te, em tudo! – Puxou-a para um abraço e finalmente Brittany desabou em lágrimas

- Sabes que a minha melhor amiga, a Anna, também acha que há alguma coisa a faltar nesta história toda? – Afirmou, quando conseguiu controlar as lágrimas – E se é verdade? E se há alguma coisa que a minha mãe nunca me disse? – Voltou a soltar algumas lágrimas

- Vamos falar com ela! Confrontas a tua mãe com o que te contei e talvez ela te conte mais alguma coisa – o rapaz sugeriu, limpando-lhe as restantes lágrimas~

- Não consigo fazer isso agora, nem hoje – soluçou – Não tenho forças nem coragem! – Confidenciou

- Então falas com ela quando te sentires preparada! – Gustav disse, dando-lhe alguma força – E eu vou estar contigo, se precisares! – voltou a abraçá-la, desta vez com mais força – Queres que te leve a casa?

- Não! Não consigo ir para casa e ter de enfrentar a minha mãe. Ela vai desconfiar e eu não consigo ter mais emoções destas hoje

- E onde vais ficar, em casa do teu namorado? – Gustav sugeriu

- Não, ele ia logo ligar à minha mãe e tudo seria ainda mais complicado – Brittany disse – Achas que podemos passar o resto do dia juntos e depois ir sair? Preciso de espairecer, Gustav! – Pediu, esperando que o irmão fosse fácil de convencer

- Não sei se a tua mãe o Henry vão achar – interrompeu o que ia dizer ao ver a cara de Brittany – Tudo bem, uma saída só te vai fazer bem! Mas nada de muito radical, não tens idade para certos sítios – informou, com um tom meio divertido, de modo a quebrar aquela tensão que se sentia

- Tudo bem. Acho que passar algum tempo contigo e com o Jack vai ajudar – sorriu – Obrigada – E desta vez foi ela que apertou com toda a sua força Gustav num abraço.

...........

Boa tarde! Aqui fica mais um capítulo, desta vez com alguns pormenores sobre o que se passou com o pai de Brittany e Gustav (George) Mas parece que há alguma coisa por descobrir! Alguma ideia do que será? Obrigada a quem tem acompanhado :) Vão deixando as vossas opiniões e até ao próximo capítulo :) Fiquem bem! 

Pág. 1/4