Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

04
Out14

"Our Love (2)" - Capítulo 3


JustAnOrdinaryGirl

 

Eram 8 horas da noite quando Rachel e Daniel estacionaram o carro à porta de casa dos pais da rapariga, exatamente no mesmo sítio onde estacionaram da última vez que tinha lá estado. Viram luzes nas janelas da sala e da cozinha, o que provavelmente significava que já estavam à espera deles.

Respiraram fundo antes de saírem do carro e, antes de se encaminharem para a porta de casa, deram as mãos. Logo depois, tocaram à campainha e esperaram que alguém viesse abrir a porta.

************************

Ashley: São oito horas, Jake! Não vais fechar a loja?

Jake: A loja já está fechada!

Ashley: Como assim "já está fechada"? A hora de fecho não é só agora, às oito? Sempre foi isso que a dona me disse!

Jake: Mas hoje decidi fechar mais cedo! Tranquei a porta antes de virmos aqui para o armazém!

Ashley: E posso saber porquê?

Jake: Claro! Fiz isso para que ninguém entrasse, para ninguém nos interromper!

Ashley: O quê?!

Jake: Não gosto de ser incomodado enquanto estou a tratar do inventário, para não me distrair.

Ashley: Claro, estou a ver...

Jake: Vamos voltar ao trabalho? Ainda temos muito pela frente...a não ser que não te importes de passar a noite aqui...comigo!

Ashley: Vamos voltar ao trabalho, sim. Fiquei de ir dormir a casa do meu namorado e não me apetece nada atrasar.

Jake: O teu namorado é um bocadinho ciumento, não?

Ashley: Nem por isso. Só não gosta que se atirem à namorada dele!

Jake: Nenhum namorado gosta disso!

Ashley (fala para si): Mas há quem goste de se atirar às namoradas dos outros...

Jake: Disseste alguma coisa?

Ashley: Não...Vamos trabalhar?

********************

MãeRachel: Olá meus queridos, boa noite! Entrem!

Rachel: Olá mãe! Aconteceu alguma coisa...para terem marcado este jantar?

MãeRachel: Não aconteceu nada...Mas entra, falamos lá dentro, durante o jantar!

Daniel: Boa noite senhora Stevens!

MãeRachel: Olá Daniel! Entre...

Rachel: Onde é que está o pai?

MãeRachel: Está aí na sala. E está à vossa espera, podem ir ter com ele. E não se preocupem, está tudo bem!

 

Rachel dirigiu-se à sala, sempre de mão dada com Daniel, e assim que viu o pai, sentado no sofá onde costumava estar todas as noites, sentiu um nó no estômago. Não o via ou falava com ele há três meses e sinceramente não sabia o que lhe dizer. O Sr. Stevens viu o reflexo deles na televisão desligada e levantou-se de imediato, ficando de frente para eles. Rachel não conseguiu decifrar qual o estado de espírito do pai. Ele não disse nada, apenas ficou a olhá-los fixamente, pelo que teve de ser a rapariga a quebrar o silêncio.

Rachel: Pai...

PaiRachel: Boa noite, Rachel. Boa noite, Daniel!

Rachel e Daniel: Boa noite!

Ninguém disse mais nada e o que se passou a seguir foi uma coisa da qual ninguém estava à espera, depois de tudo o que se passara entre eles: O pai de Rachel esboçou um pequeno sorriso, mesmo antes das lágrimas lhe aparecerem nos olhos e de se dirigir à filha, dando-lhe um abraço bem apertado.

 

Rachel: Tive saudades suas, pai!

PaiRachel: Eu também tive saudades tuas, Rachel. Mas espero que percebas que o que se passou apenas foi culpa tua...aliás, vossa!

Rachel: E eu espero que o pai não vá começar com isso outra vez.

PaiRachel (recompondo-se): Não se preocupem, não vos chamei aqui para arranjar mais problemas. Quero que este seja um jantar civilizado. Por isso mesmo, seja bem-vindo a nossa casa, professor Daniel!

Daniel: Obrigado Sr. Stevens. E trate-me apenas por Daniel, o professor fica para os alunos...

PaiRachel: Vou sempre vê-lo como professor, portanto...

Rachel: Pai! Não te esqueças do "jantar civilizado", por favor!

PaiRachel: Vamos jantar!

 

O jantar correu bem, apesar dos receios de Rachel e Daniel. As conversas giraram todas à volta do emprego dos pais da rapariga, assim como da entrada de Rachel na universidade e de mais um ano de aulas para Daniel. O assunto "casamento" foi evitado por todos, talvez porque todos tinha noção de que esse assunto poderia acabar com aquele jantar civilizado. No final, sentaram-se todos na sala e aí sim, a conversa casamento já não pode ser evitada.

 

PaiRachel: Em relação à outra novidade que me contaste naquela carta, Rachel...

Rachel: O nosso casamento?

PaiRachel: Sim, isso...é para ir para a frente?

Rachel: É, pai! E tanto eu como o Daniel gostávamos muito de contar com a vossa presença.

PaiRachel: Não acham que são demasiado novos para casar? Principalmente tu, filha!

MãeRachel: Querido! Lembra-te que disseste que não te ias opor!

Rachel: Disseste isso, pai?

PaiRachel: Não interessa o que eu disse! Apenas quero que tenham a certeza do que vão fazer. Um casamento é para a vida e tem de ser com a pessoa certa!

Rachel: Eu sei disso tudo. E para mim, pessoa mais certa do que o Daniel não há. Eu amo-o!

Daniel: Ouça, eu sei que para si um professor nunca se deve envolver com uma aluna mas...o que aconteceu connosco foi depois das aulas. E agora já não é um amor proibido, nem é crime! E acredite, o que eu sinto pela sua filha, nunca vou sentir por mais ninguém. Nem quero. Eu amo-a!

PaiRachel: Isso é tudo muito bonito, e até posso acreditar que realmente gostam um do outro. Mas essa história de nunca se terem envolvido antes do fim das aulas, nisso não acredito. Nunca acreditei. E bastou-me vê-los naquele dia, no hospital, para perceber que alguma coisa se passava e que vocês estavam mais envolvidos do que diziam.

Rachel: Se sabia porque é que não disse ao diretor, porque é que não acusou o Daniel?

PaiRachel: Porque disseste que saías de casa se eu fizesse alguma coisa. Tive medo de te perder.  E porque seria sempre a vossa palavra contra a minha!

Rachel: Ou isso ou porque lá no fundo acreditava que isto era sério. E no final, acabou por me perder na mesma! Mas tudo bem, obrigada por ter feito isso por nós. E quanto ao casamento, não vai ser já, mas queriamos que soubessem. Só espero que o pai acabe por aceitar esta relação, assim como a mãe já o fez. Muito obrigada por este jantar. Está a ficar tarde, vamos embora, Daniel?

Daniel: Sim, quando quiseres. E obrigada por este jantar Sra. e Sr. Stevens! Eu prometo tomar muito bem conta da vossa filha! E pense no que ela lhe disse, Sr. Stevens!

PaiRachel: Vai levar algum tempo, mas...Talvez eu não vos convidasse para jantar se não tivesse noção de que talvez não possa fazer nada contra isso. Porque é que não passam cá a noite? Está a chover e é perigoso conduzir assim!

Rachel: Mas sabe que o Daniel dorme comigo, certo?

PaiRachel: Desde que tenam cuidado, presumo que não possam fazer nada que nunca tenham feito. Não sou assim tão conservador!

Rachel: Afinal, parece que aceita! Obrigada, pai!

PaiRachel: Um passo de cada vez! Daniel, espero que goste de basebol, hoje é noite de jogo e não perco um!

MãeRachel: Isso, vejam o jogo. Eu e a Rachel vamos dar uma arrumadela no quarto!

.................................

E pronto, aqui está. O que acharam? Acham que esta simpatia súbita do Sr. Stevens é verdadeira ou poderá esconder algo? Não percam o próximo capítulo! Fiquem bem e até para a semana :)