Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

You And I

21
Jun14

"Our Love" - Capítulo 23 ÚLTIMO


JustAnOrdinaryGirl

 

Daniel subiu ao palco e agarrou no microfone, deixando a multidão cada vez mais curiosa. O diretor tinha aceitado que ele explicasse aquilo tudo daquela maneira, escolha que não deixou os pais de Rachel nada satisfeitos.

 

Daniel: Sei que a maioria de vocês ficou surpreendida com o que acabou de acontecer. E sei que sem uma explicação isto soa um bocado “errado”. Mas é para isso que aqui estou, para vos explicar o porquê de isto estar totalmente certo. Apaixonei-me pela Rachel há algum tempo e acho que com ela aconteceu o mesmo. Mas sempre tivemos noção que éramos professor e aluna e que as coisas iriam ser muito complicadas. E foi por sabermos isso que lutámos e esperámos até agora para ficarmos juntos. Apesar de tudo, nunca beneficiei a Rachel em nada e poderão comprovar isso no exame nacional que não será corrigido por mim. Tal como o diretor disse, a Rachel já não é aluna desta escola e é por isso que decidimos ficar juntos a partir de hoje. Apenas vos peço que aceitem, não estamos a fazer nada de mal e lutamos imenso para cumprir as regras! Obrigada e parabéns aos finalistas!

 

Mal acabou de pronunciar estas palavras, Daniel foi ao encontro de Rachel, do diretor e dos pais da rapariga.

 

Daniel: Acha que as coisas assim ficam resolvidas?

Diretor: Daniel…

Daniel: Ouça, se achar que o melhor é despedir-me, tudo bem, faça isso. Mas peço-lhe, por tudo, que não prejudique a Rachel!

Diretor: Tenha calma, homem. Ninguém o vai despedir e muito menos prejudicar a Rachel. Assumiram as coisas perante toda a gente. Os meus parabéns por isso, por essa coragem. E sejam felizes. Para o ano contamos consigo, professor Daniel. E esperamos poder continuar a ter notícias tuas, Rachel. Com licença!

PaiRachel: Senhor Diretor!?! Não vai fazer mais nada, nem uma simples punição?

Diretor: O quê punir dois jovens só porque eles se apaixonaram? Não, não vou fazer nada. E acho que o senhor também os devia apoiar!

 

Dito isto, Rachel, Louis, Ashley e as respetivas famílias, incluindo Daniel, dirigiram-se a casa de Ashley, onde tinham organizado o almoço para os finalistas. O almoço decorreu bastante bem, tendo em conta os acontecimentos anteriores. O pai de Rachel não queria dar uma má impressão perante as famílias dos amigos da filha. Para ele, mesmo que as coisas estivessem mal, o que importava era passar uma boa imagem. Era por isso que não engolia aquele namoro da filha com o professor, por ser um escândalo perante os seus amigos “importantes”.

Depois do almoço e de uma pequena festa, já por volta das sete, Daniel levou Rachel até casa. A rapariga preferiu ir com o namorado para adiar um pouco o sermão que ia levar dos pais.

 

Daniel: Está entregue, menina!

Rachel: Não queres entrar?

Daniel: Achas que é boa ideia? Não te quero arranjar mais problemas, baby!

Rachel: Não vais arranjar. Pode ser que assim eles percebam que, aceitem ou não, tu vais estar sempre comigo!

 

Entraram em casa e dirigiram-se à sala, esperando que os pais da raparia entrassem. Por muito que quisessem evitar ter aquela conversa, queriam esclarecer as coisas o mais depressa possível.

 

Rachel: Ainda bem que chegaram! Acham que podemos falar? Civilizadamente, por favor!

PaiRachel: Nós falamos sempre civilizadamente, Rachel!

Rachel: Quero dizer que quero falar e não discutir!

PaiRachel: E este senhor também vai estar presente nesta conversa?

Rachel: Claro que vai! O Daniel é meu namorado e a partir de agora vai faz parte da família, quer o pai queira, quer não!

PaiRachel: Porque é que estás a fazer isto, Rachel? É alguma birra?

Rachel: Não é birra nenhuma, pai. Quando é que vai perceber que eu gosto mesmo do Daniel e que ele gosta de mim? Custa assim tanto aceitar isso?

PaiRachel: Ele é teu professor, Rachel! PROFESSOR!

Rachel: ERA meu professor, já não é e não vai voltar a ser! Proibiram-nos de estar juntos enquanto éramos professor e aluna mas agora já não nos podem proibir de namorar. Ele é maior de idade e eu também!

PaiRachel: Mas enquanto viveres debaixo do meu teto, há regras que tens de cumprir, minha menina!

Rachel: Isso resolve-se num instante! Volto já!

 

Rachel deixou os pais e Daniel a olhar para ela e dirigiu-se ao quarto. Pegou num saco de viagem e enfiou lá dentro tudo o que conseguiu e que precisava: roupa, principalmente de verão, alguns sapatos, alguns acessórios e produtos que tinha na casa de banho, e pouco mais. Pegou no computador, carregador de telemóvel, mp3 e na sua mala. Despejou lá para dentro o mealheiro, que ainda tinha algum dinheiro e saiu do quarto, fechando a porta atrás de si e metendo a chave na carteira.

 

Rachel: Como eu disse, o problema é fácil de resolver! Vamos embora, Daniel?

Daniel: Rachel tens a certeza disso?

MãeRachel: Filha…

Rachel: Tenho a certeza absoluta. Eu sei que o que o que queres é que eu namore com um daqueles rapazes que me apresentaste, pai. Queres evitar escândalos diante dos teus amigos. Mas tenho imensa pena, isso não vai acontecer. Eu namoro com o Daniel e vou continuar a namorar. Se não aceitas, não posso fazer nada!

PaiRachel: Não essa tua ameaça de que vais sair de casa que me vai fazer mudar de ideias!

Rachel: Não era uma ameaça, pai. Eu estou a falar a sério. Se o problema é as regras, isso resolve-se depressa!

PaiRachel: Se saíres por aquela porta, deixa de contar com a minha ajuda, principalmente a nível financeiro!

Rachel: Hei-de conseguir desenrascar-me, não te preocupes! Um dia destes passo a buscar o resto das minhas coisas. Adeus! E lamento que as coisas tenham de acabar desta maneira!

MãeRachel: Não faças isto, filha. As coisas podem resolver-se de outra maneira! É mais importante ires para a frente com esse namoro do que ficares bem com os teus pais?

Rachel: Gostavas que os avós te tivessem proibido de namorar e casar com o pai? Não me parece! Adeus!

 

E dito isto, Rachel saiu de casa, sem olhar para trás e esperou que Daniel a seguisse. Este, antes de sair de casa, ainda tinha algo a dizer.

 

Daniel: Pensem bem nisto. A Rachel precisa de vocês e vocês precisam dela. Mas eu e ela também precisamos um do outro e o que estamos a fazer não é crime nenhum, é amor! Com licença. Ah, e não se preocupem, eu vou tomar bem conta da Rachel!

 

Daniel foi ter com Rachel, que estava encostada ao carro dele. Olhou para ela e apenas a abraçou, sem dizer nada. Quando sentiu os braços dele, a rapariga começou a chorar.

 

Daniel: O que é que estás a pensar fazer?

Rachel: Arranjar uma casa, um emprego. Depois, quando entrar para a universidade, logo vejo. Achas que posso ficar em tua casa esta noite?

Daniel: Esta noite não!

Rachel: Tudo bem, eu desenrasco-me de outra maneira. Vou telefonar à Ashley!

Daniel: Não me deixaste acabar, baby. Não podes ficar esta só esta noite, podes ficar sempre. Achas que…que tal achas da ideia de irmos viver juntos?

Rachel: A sério? Achas que resulta?

Daniel: Acho que já provamos que isto é a sério. Acho que vai dar resultado, sim. E temos o verão para nos habituarmos um ao outro, aproveitamos para ir de férias.

Rachel: Não te esqueças que eu vou ter de arranjar emprego. Acho que acabei de ser deserdada.

Daniel: Vamos ter tempo para tudo. Posso falar com uns amigos para ver se te arranjam qualquer coisa. E agora, outra ideia que tive. Já tinha pensado nisto há algum tempo mas acho que só agora é que podemos concretizar!

Rachel: Estás a falar do quê?!

Daniel: Lembras-te daquela mentira que pregámos ao médico, quando a Ashley foi para o hospital?

Rachel: Sim, o que é que tem? Espera…

Daniel: Queres tornar essa mentira numa verdade?

Rachel: É claro que sim! Seria um prazer ter-te como marido. Amo-te!

Daniel: E eu amo-te daqui até à lua, ir e voltar, infinitas vezes!

Rachel: Mas primeiro, temos de resolver bem a nossa vida, sim?

Daniel: Claro que sim! Desde que me prometas que vais fazer um esforço para fazer as pazes com os teus pais!

Rachel: Prometo! Apenas quero que eles percebam que isto é sério. E sei que eles vão acabar por vir falar comigo. Ai!! Amo-te tanto, Daniel!!

 

Daniel pegou na mala de Rachel e meteu-a dentro do porta bagagens. Depois, abriu a porta do passageiro para que ela entrasse. Mas antes, beijou-a, apaixonadamente, antes de partirem para o início de uma vida a dois.

 

..............

E assim termina mais uma fic! Espero que tenham gostado.

Obrigada a todos os leitores que acompanharam e que foram deixado opiniões.

Foi muito importante receber essas opiniões, acreditem!

Quanto a esta fic, adorei escrevê-la, e tenho de admitir que foi das que mais gostei de escrever, não se porquê, talvez pelas personagens.

E, há uma novidade em relação a esta fic. Talvez as coisas não fiquem por aqui! Mas falo disso noutro post :)

Fiquem bem e até à próxima! :D