Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hope.Love.Christmas

uma história de World Of Stories

Hope.Love.Christmas

Hope.Love.Christmas - Capítulo 1

Design Addict Mom: Hello December!

Lizzie era a típica fã do Natal. Na verdade, o que havia para não gostar? As luzes, as músicas, os cheiros... o espírito natalício que sentia no ar...
Não podia dizer que tudo era perfeito, porque não era. Havia sempre anos menos bons ou memórias menos felizes. Essas todos as tinham. Tinha havido Natais maus, coisas que gostava que tivessem sido diferentes. Mas quem não gostaria de mudar alguma coisa? 
Mas depois, pensando bem, tudo acabava por ser recompensado ou melhorado com o facto de poder ter a família reunida numa noite especial. Ver os sorrisos, ouvir as conversas, sentir aquele conforto familiar... Era isso que, segundo ela, dava significado ao Natal. 

No dia um de dezembro, acordou eufórica: era dia de decorar a casa. Nem sequer tinha dormido tranquila, tal era a excitação daquele dia. 
Vivia em Nova Iorque com a família - os pais e a irmã - e todos adoravam aquela época. Embora não tanto como ela. 
Saltou da cama assim que ouviu barulho na cozinha. Ia tropeçando numa pilha de livros antes de chegar à porta do quarto. Estudava literatura e aquela divisão da casa mais parecia uma biblioteca. 
Desceu as escadas a correr e juntou-se aos pais e à irmã para o pequeno-almoço, que devorou em pouco tempo. 

- As decorações não fogem, Lizzie! - O pai, Oskar, brincou. Recebeu em troca uma careta da filha mais velha. - Podem passar anos, mas parece que nesta altura voltas sempre a ser uma menina pequena, com esse sorriso deliciado. - ele comentou, nostálgico. 

- É o mês do Natal, pai! - Lizzie disse, como se não fosse algo que todos soubessem - Vou precisar de ajuda com a árvore. - pediu

Lizzie esperou, impacientemente, que a família terminasse a refeição. O que lhe pareceu uma eternidade. 
Quando eles finalmente termiram, encaminharam-se todos para o sótão do prédio, ainda em pijama. Cruzaram-se com Agatha, a vizinha da frente, que também sabia muito bem o quanto a jovem adorava a época do ano que agora começava. Na verdade, todos naquele prédio sabiam disso. Bastava que estivessem atentos às músicas que se faziam ecoar ou às luzes nas janelas. 

- Nem preciso de perguntar que sorriso é esse... - Agatha comentou, a sorrir. Os Miller eram como família para ela.
- Achas que depois podes passar lá em casa para me ajudar com as minhas decorações? - pediu a Lizzie

- Claro que sim! - Ela concordou de imediato

- Muito obrigada, querida! - agradeceu, pegando na mão de Lizzie. - Encontrei uma caixa de livros antigos, talvez haja lá alguma coisa que te interesse... - lembrou-se, fazendo o sorriso de Lizzie ainda maior. Livros e Natal, duas das coisas que mais amava. 

Foi uma manhã longa, entre montar e decorar a árvore e colocar todas as luzes nas janelas. Todas as divisões ficaram com um cheirinho a Natal. E, para os acompanhar, ouviram-se vários clássicos. A família ficou satisfeita com o resultado e todos se sentaram no sofá a beber um chocolate quente. 

- Finalmente vou poder voltar ao meu descanso! - Jessica disse, só para provocar a irmã

- Oh, estava a pensar que quisesses ir comigo a casa da Agatha. Um par de mãos extra para as decorações... - disse, enquanto tentava fazer um olhar que convencesse a irmã mais nova. - E depois podias fazer-me companhia numa visita à livraria. Tenho de ir procurar uns livros para as aulas - acrescentou, rezando interiomente para que a irmã aceitasse. 

- Tu adoras fazer decorações de Natal e a livraria é já aqui em frente... Precisas mesmo de companhia? - Jessica perguntou, tentando esquivar-se

- Até podes deixar ir a tua irmã sozinha a casa da dona Agatha, mas vais com ela à livraria. Não vais ficar ficar aqui o dia todo fechada em casa e agarrada a esse telemóvel, Jessica! - A mãe, Alice, intrometeu-se

- Não estou sempre agarrada ao telemóvel! - Jessica defendeu-se - Estou apenas a falar com os meus amigos sobre...coisas - explicou

- Vais com a tua irmã à livraria! - Alice mandou - Ela já vai sair de casa da dona Agatha de noite e sabes que não gosto que andem sozinhas à noite... - disse, vendo que Jessica ia começar a protestar de novo - Mesmo que seja logo aqui em frente, Jessica!

Alice tinha razão. Quando Lizzie regressou de casa da vizinha, já tinha anoitecido. Chamou Jessica e saíram as duas de casa. A livraria era em frente ao prédio onde moravam. Um espaço que ambas conheciam muito bem. Era de um casal que vivia ali desde sempre e que, antes de se mudarem para o campo para aproveitar a reforma, a tinha deixado à filha, Harper. Mas há muito que não a viam por ali. Ultimamente quem estava na livraria era sempre o empregado e, em raras ocasiões, o namorado de Harper. 
As duas irmãs entraram. O espaço estava pouco iluminado e mais vazio que o costume. Lizzie reparou que ainda não tinham feito as decorações natalícias, coisa que todas as outras lojas já tinham feito. 

- Este sítio está esquisito, hoje... - Jessica comentou à medida que ia avaçando por entre as prateleiras - Eu sabia que devia ter ficado em casa! Ainda vou ser assassinada por tua culpa! - disse à irmã

- Jess, estás numa livraria, não no meio de um filme de terror! -  Lizzie respondeu no mesmo tom da irmã - Não te sentes inspirada por todas as histórias que aqui podes encontrar e viver? - perguntou

- Na verdade, sinto-me mais inspirada a viver histórias da vida real. Aqui dentro, neste momento, só sinto arrepios! - Jess disse, de mau humor, mas Lizzie só lhe revirou os olhos - Achas que está cá alguém? - perguntou. Era estranho que ainda ninguém aparecesse

- Talvez nas traseiras. Não iam deixar a livraria aberta e ir embora... Acho eu... - Lizzie olhou em volta. Não ia admitir, mas a conversa da irmã e aquele ambiente escuro estavam a deixá-la um pouco desconfiada - Talvez seja melhor voltarmos amanhã... - sugeriu

- Ahah, afinal também estás a pensar num cenário de terror! - Jessica gozou com a irmã, mas seguiu-a para a porta da rua.

- Posso ajudá-las? - Uma voz vinda do nada fez com que as duas dessem um salto e um pequeno grito de susto - Desculpem, não vos queria assustar! - As duas viraram-se e deram de caras com um rapaz loiro e com barba, que as encarava - Desculpem, a sério! - voltou a pedir

- Achámos que não estava cá ninguém... - Lizzie disse, ainda meio assustada

- E que estávamos prestes a viver um filme de terror, daí o susto! - Jess acrescentou. Lizzie revirou os olhos e o rapaz à frente delas sorriu - És o namorado da Harper, a dona, certo? - perguntou

- Sou o William, o responsável no momento... - ele esclareceu - Estamos sem funcionários e eu estava lá atrás com a minha filha... Mas posso ajudar-vos... - Voltou a oferecer

- Sim... - Lizzie disse - Eu estou à procura de uns livros para a faculdade... Tenho aqui a lista... - disse. Aproximou-se e entregou-lhe um papel. - Ainda são alguns, por isso posso cá passar amanhã, se der mais jeito...

- Não te importas? - William perguntou - Se não precisares deles hoje... Desculpa, é que isto está um pouco... caótico desde que o Peter saiu e a Ava está meio adoentada hoje... A minha filha... - explicou

- Eu volto amanhã, não é urgente. - Lizzie concordou, com um sorriso 

- Muito obrigada, a sério! - William sorriu de volta - Até amanhã!

- Até amanhã... E as melhoras da Ava! - Desejou. Foi preciso puxar Jess por um braço, que estava meio "hipnotizada" a olhar para o lugar. 

- É giro, ele! - Jess comentou assim que chegaram à rua

- E demasiado velho para ti, Jessica! - A irmã advertiu. Sabia bem como eram as paixonetas da irmã. E, por mais que gostasse de ler romances "complicados", sabia bem que na realidade as coisas eram diferentes. 

- Mas não para ti! - Jessica disse, deixando a irmã especada a olhar para ela. - Vá lá, Lizz, vi bem como olhaste para ele! - Adorava provocar a irmã com estas coisas. 

- Não, Jess, nem penses! - Lizzie disse, tentando cortar as ideias da mais nova - Eu olhei para ele como olho para qualquer outra pessoa. Isso dos olhares é só impressão tua. Estava escuro, falaste em filmes de terror e ambas apanhámos um susto. Depois dava para perceber como ele estava meio atarefado com a filha doente. Uma filha, Jessica! Por isso não, não olhei com nenhum tipo de olhar para ele. - Tentou terminar por ali o assunto. - Vamos para casa? 

- Vamos... - Jessica disse, começando a seguir a irmã - Mas amanhã temos de aqui voltar, não te esqueças! - provocou

- Há mais livrarias na cidade... 

- Mas esta é mais perto. E é antiga, por isso deve ter todos esses livros que procuras. E... eu vi ali um livro que quero mesmo ler - enumerou, não deixando tempo para respostas - É, vamos mesmo ter de voltar ali... - E feliz por saber que a irmã não tinha mais argumentos, entrou em casa com um sorriso no rosto. 

.............................

E aqui fica o primeiro capítulo desta história natalícia. Espero que gostem e que fiquem com alguma vontade de acompanhar. Obrigada a quem está desse lado :) Fiquem bem e até ao próximo capítulo! 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.